Animais e Sociedade

Por Ana Lúcia Camphora

Animais e Sociedade 2018-03-01T19:15:57+00:00
2702, 2018

Animais que aqui desembarcaram

27/02/2018|

“As primeiras vacas que foram à Bahia, levaram-nas de Cabo Verde e depois de Pernambuco, as quais se dão de feição que parem cada ano e não deixam nunca de parir por velhas; as novilhas como são de ano esperam o touro, e aos dois anos vêm paridas, pelo que acontece muitas vezes mamar o bezerro na novilha e a [...]

2812, 2017

Caça para colecionadores

28/12/2017|

Se, antes da abertura dos portos, em 1808, animais brasileiros chegavam a colecionadores de toda a Europa, negociados por holandeses e franceses, a partir do século XIX, espécimes transferidos das colônias abasteceram amplamente os ricos acervos dos museus de história natural. Expedições eram contratadas ou recompensas eram pagas para aqueles que realizavam grandes coletas. Grandes [...]

2211, 2017

Animais e sociedade no Brasil dos séculos XVI a XIX

22/11/2017|

Na saúde e na doença Para garantir sua própria sobrevivência, colonos e missionários observavam como determinados animais faziam uso de determinadas plantas, como a copaíba, esfregando suas feridas nos troncos dessa árvore com poder cicatrizante. Ou como o macaco guariba, utilizava determinadas plantas em sua automedicação: “Estes guaribas costumam a fazer-se a barba uns aos [...]

1310, 2017

Mantimentos naturais da terra

13/10/2017|

Na primeira metade do século XVI, Gabriel Soares de Souza, colono da Província da Bahia de Todos os Santos, produziu o primeiro e mais importante tratado descritivo sobre as condições ambientais do Brasil. Seu testemunho exageradamente otimista em relação às condições do novo território, como observou Maria Yedda Linhares, é definitivamente realista na extensa lista [...]

2109, 2017

Animais e sociedade

21/09/2017|

Baleias eram arpoadas na Baía da Guanabara. Navios tranportavam para a Europa milhares de macacos, papagaios e araras. Bois movimentavam moinhos e engenhos de açúcar. Plumas de beija-flores ornamentavam chapéus e vestidos usados por damas da Corte Portuguesa e de Paris. Um matadouro funcionava ao ar livre, na praia de Santa Luzia, centro do Rio [...]