LinkedIn oferece 1.047 vagas para médicos veterinários e 382 para zootecnistas

Por

Mas a pergunta é: você está usando esta rede social profissional do modo certo e a seu favor?

De acordo com matéria publicada no portal Canal Rural, existem 1.047 oportunidades de emprego para médicos veterinários e 382 para zootecnistas disponíveis no LikedIn. As empresas são de segmentos variados, como Boehringer Ingelheim, BRF, Cargil, Embrapa, Nestlé, Seara, Zoetis, dentre outras. As vagas são para os níveis de estagiários, trainees, recém-formados, profissionais com muita bagagem e professores.

Para entender melhor a dinâmica da rede social LinkedIn, nós, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro (CRMV-RJ), conversamos com o médico veterinário, Ronaldo Hertel, que é entusiasta de empreendedorismo, tecnologia e startups. Hertel também é embaixador do Encontro Empreendedor, que acontece mensalmente em diversos locais no Rio de Janeiro.

O médico veterinário já utiliza o LinkedIn há algum tempo e, por meio desta rede social, pode conhecer profissionais até de fora do Brasil e se conectar com vários projetos envolvendo a sua área de atuação e a Medicina Veterinária.

Ronaldo Hertel já recebeu até proposta de trabalho via mensagem da rede social. A vaga era para o cargo de médico veterinário responsável técnico de um grande centro de cirurgia animal experimental. Uma amiga do profissional também recebeu convite semelhante para atuar em varejo de alimentos.

O médico veterinário, formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), dá dicas de como criar e manter um perfil ativo e interessante no LinkedIn, que é uma rede social profissional que reúne empresas nacionais e multinacionais, recrutadores, colaboradores e influenciadores.

Para a Medicina Veterinária e a Zootecnia, Hertel garante que, “o LinkedIn tornou-se uma vitrine do profissional”, uma vez que empresas do Agronegócio, mercado pet, dentre outras, utilizam esta rede social como ferramenta de Marketing, validação e recrutamento. “Tanto o empregador quanto o empregado podem se beneficiar do LinkedIn”, garante o médico veterinário.

Perfil ativo e interessante

Como estamos vivendo a era da geração de conteúdo, Ronaldo Hertel aconselha ter cuidado com o conteúdo e o visual do perfil no LinkedIn. Ele também sugere que seja objetivo e perspicaz ao elencar as competências e experiências mais relevantes. “Não adianta colocar tudo da sua vida. Pense que recrutadores, colegas, parceiros e concorrentes (sim, concorrentes!) também verão o seu perfil”, destaca o médico veterinário.

Ter o cuidado com a qualidade das imagens usadas para ilustrarem o seu perfil profissional que transmitam a mensagem que deseja passar também conta bastante na hora de despertar o interesse de recrutadores.

O uso rotineiro e focado do LinkedIn também faz diferença. Hertel garante que quanto mais você postar e comentar com relevância, mais conexões fará, aumentando, desta forma, a sua visibilidade na rede social.

“Isso vai refletir em mais ocorrências do seu perfil em pesquisas de recrutadores, mais visitas ao seu perfil, mais pedidos de conexões e mensagens de profissionais interessados em conversar e fazer negócios. Compartilhe conteúdo. Não tenha medo de se expor. Desenvolva o texto das suas postagens”, enfatiza Hertel.

E o que evitar?

O LinkedIn é uma rede social profissional, logo, o tema principal é mercado de trabalho. Hertel sugere que se evitem postagens de fotos informais, triviais sem conteúdo, texto ou link associado. “Existem outras redes sociais para quem quer falar apenas de questões pessoais e íntimas, como o Facebook.”

Outra postura que não “pega bem” no LinkedIn é ser o famoso hater (odiador). “Evite criticar negativamente as pessoas. Em vez disso, ofereça sugestões de melhoria, valorize o trabalho alheio e mostre-se aberto a ajudar”, afirma Ronaldo Hertel, que complementa, “Comentar apenas “Parabéns”, “Abraço” ou “Obrigado” não incita as pessoas a participarem mais da postagem. Experimente postar comentários agregadores, que engrandeçam e fomentem mais discussão do tema em questão. Ótimas discussões ocorrem em comentários de postagens. Aproveite isso, sobretudo em postagens com muitas visualizações, para construir sua reputação digital, conectar mais pessoas e atrair mais visitas ao seu perfil.”

Networking via LinkedIn

Assim como na vida real/offline construir uma rede de relacionamentos é importante, no mundo virtual, sobretudo no LinkedIn, é fundamental. E, segundo Ronaldo Hertel, a rede social ajuda a estreitar laços e fortalecer o networking, que, baseado no histórico do usuário, sugere profissionais e empresas afins para se conectarem e aumentar a rede de influências.

Deste modo, o profissional pode interagir com empresas e outros profissionais de seu interesse, saber sobre sua história, conjuntura atual e planos futuros. Por sua vez, as empresas podem lançar produtos, revelar perspectivas futuras e vagas em aberto.

“Sabe aquela pessoa que você viu no evento e não pode falar com ela? Com o aplicativo do LinkedIn no celular, é só ativar o bluetoothpara descobrir novos perfis no raio do seu smartphone e não perder aquela conexão especial”, dá a dica Ronaldo Hertel, que garante: “o Linkedin transformou o networking no mercado de trabalho e a forma de recrutamento das empresas. Cabe a nós, médicos veterinários e zootecnistas, saber utilizá-lo da melhor forma.”

Aplicativo de busca de vagas

O LinkedIn dispõe, ainda, de outra ferramenta para quem busca uma oportunidade no mercado de trabalho na Medicina Veterinária ou Zootecnia. É o aplicativo LikedIn Job Search, dedicado apenas à busca por vagas de emprego. Para o médico veterinário, Ronaldo Hertel, é um diferencial para o profissional que busca recolocação ou novos cargos no mercado.

Pelo Job Search dá para mapear as competências desejadas, tipos de cargos oferecidos, localidades e perceber onde estão as melhores oportunidades. Para usar, é preciso ter um perfil no LinkedIn e realizar a busca otimizada com o uso dos filtros, como local, regime de trabalho, tamanho de empresa, setor, cargos de interesse, urgência pela vaga e etc.“É ficar mapeando do mesmo jeito que as empresas mapeiam a gente”, finaliza Hertel.

Por: Ronaldo Hertel, médico veterinário, formado pela UFRRJ, e-mail: ronaldohertel@gmail.com, Instagram: @ronaldohertel, LinkedIn: Ronaldo Hertel Neira.

Imagem de abertura: Stesoares/Universidade Castelo Branco.

Fonte: Assessoria de Comunicação do CRMV-RJ.

2018-10-30T11:07:13+00:00