Fêmeas suínas em baias coletivas e com alto nível de fibra na ração têm melhor desempenho na gestação

Por

Um estudo desenvolvido pelo Instituto de Zootecnia (IZ) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo mostrou que as matrizes suínas criadas em baias coletivas e com alto nível de fibra na ração apresentaram um desempenho melhor durante o período de gestação. O objetivo do trabalho foi identificar o melhor ambiente para as matrizes com base na alimentação e no sistema de criação dos animais.

Um ponto importante do estudo foi a dieta fornecida às matrizes. O alimento utilizado mostrou que o alto nível de fibra não interferiu no desempenho reprodutivo das fêmeas, sendo indicado o feno de capim tífton na formulação da dieta daqueles animais como alternativa para melhorar o bem-estar das gêmeas e diminuir o custo da ração.

De acordo com o coordenador do projeto, o pesquisador do IZ, Fábio Enrique Lemos Budiño, o sistema de criação em baias coletivas, além de proporcionar melhor conforto aos animais, diminuiu a estereotipia – comportamentos repetitivos de estresse –, permitindo que as gêmeas revelassem um comportamento mais próximo do natural.

Segundo Budiño, o estudo foi muito importante, pois mostrou que os animais devem ser mantidos em situações ambientais que não causem estresse, melhorando o desempenho animal; ou seja, levando à melhor conversão alimentar (o animal ganha mais peso comendo menos alimento) e, consequentemente, diminuindo os custos.

2017-10-30T10:57:06+00:00