Tecnologia avançada aumenta a produtividade das vacas leiteiras nas zonas áridas de Israel

Por

No mercado agropecuário competitivo de hoje, é vital que cada vaca no rebanho leiteiro renda o máximo possível. Enquanto este é um feito difícil de ser alcançado nas melhores condições climáticas, em ambientes áridos – especialmente naqueles quentes – demandam desafios aos produtores de leite.

Condições difíceis

Quando confrontados com os obstáculos ambientais das zonas áridas, os produtores de leite precisam de uma vantagem extra para manter cada vaca produzindo de forma eficiente. As condições de criação de vacas em Israel são difíceis. O país é pequeno e tem áreas limitadas de terra cultivada e irrigada, e que sofrem com as limitações de água. A precipitação ocorre somente no inverno, no Norte, e muito raramente, ou nunca, no Sul.

O clima e o pequeno tamanho do país são as razões pelas quais o gado não pode ser deixado no campo, para pastagem natural. Os animais são alimentados com forragem produzida com irrigação, complementada com grãos importados. Estas condições locais também exigem que a criação esteja na vanguarda do progresso.

Além das observações visuais de rotina diária, os produtores precisam de ferramentas tecnológicas adequadas que conduzam à melhoria da produção de leite: maiores taxas de gravidez, e uma melhor saúde integral da vaca.

Desenvolvimento de tecnologias avançadas

Israel é o terreno ideal para o desenvolvimento de tecnologias avançadas de leite. Apesar da falta de recursos naturais (incluindo água e terra), e castigável clima quente, Israel é o país que produz mais leite por vaca no mundo. De acordo com dados coletados pelo Conselho de Laticínios de Israel, a produção de leite média anual por vaca aumentou 150% de 1950-2006. A porcentagem de gordura e proteína também aumentou dramaticamente, atingindo assim o nível mais elevado de sempre (3,55% de gordura e 3,25% de proteína), tornando a porcentagen de gordura e proteína, por vaca, em Israel, a mais alta do mundo.

A questão que produtores de leite em todo o mundo perguntam é: Como um país com menos recursos e um dos climas mais inóspitos gera a indústria de laticínios mais avançada no mundo?

Este feito notável não foi alcançado por sorte, mas sim por uma longa história de investimento, desenvolvimento, inovação e pioneirismo pela indústria agropecuária local. Um fator-chave que levou Israel à vanguarda das tecnologias de leite foi o desenvolvimento da raça ideal de vaca específica para as condições climáticas. Israel desenvolveu a sua própria raça especializada, cruzando a raça local Damasco com vacas de raça holandesa Holstein-Friesian. Após gerações de cruzamento contínuo, a raça Friesian de Israel foi obtida com sucesso – uma vaca com a maior produção de leite do mundo e uma notável resistência ao calor.

 

Legenda: Aparelho SCR Heatime

Modelo econômico

O modelo econômico exclusivo para cooperativas agrícolas que se desenvolveu em Israel também contribuiu. Cerca de 60% das vacas leiteiras do país são criadas em kibutzim (espécie de cooperativas agícolas), onde equipamentos, meios de produção, conhecimento e as responsabilidades são partilhadas, criando uma indústria agropecuária mais competente, viável e inteligente.

A Gestão Nacional de Laticínios também desempenha um papel no sucesso da indústria de laticínios da fazenda israelense, com os produtores de leite l aproveitando a coleta de dados extensos e a análise feita pela Organização. Por fim, 90% das vacas leiteiras israelenses estão registradas no livro do rebanho nacional, e 88% do efetivo estão matriculados na Associação de Melhoramento do Rebanho.

Necessidade: a mãe da invenção

É fato que Israel é um dos principais centros de alta tecnologia do mundo e que caracteriza-se pela inovação e pensamento out-of-the-box. Grande parte desse esforço é dedicado a atender às necessidades criadas pela falta de recursos naturais.

Com este mesmo espírito, a indústria de laticínios em Israel adapta constantemente novas ideias e encontra soluções criativas para superar as condições climáticas e outros desafios.

Muitos inovadores, como a SCR, empresa israelense líder em desenvolvimento, fabricação e comercialização de soluções de Inteligência agropecuária de ordenha, têm desempenhado um papel importantíssimo no desenvolvimento da agricultura de alta tecnologia para a indústria de laticínios. A empresa tem uma longa história de procurar exatamente o que os agricultores precisam e oferecer uma solução adequada para aumentar a produtividade e o bem-estar dos animais criados em um ambiente pobre de recursos.

Tecnologia inovadora de exploração leiteira

Saúde individual e bem-estar do animal são fundamentais para o sucesso de uma fazenda de gado leiteiro. Especialmente em climas severos, é fundamental obter o máximo de rendimento por cada vaca. É por isso que a empresa opera sob a premissa de “Toda a vaca é importante.”

Vacas saudáveis e produtivas são o ativo mais valioso de uma fazenda de gado leiteiro. Vacas saudáveis produzem mais e melhor leite, e produz bezerros saudáveis.

Aparelho SCR Heatime em detalhes

Ruminação

A ruminação é um indicador direto comprovado de bem-estar e saúde da vaca. Os produtores de leite, veterinários e nutricionistas têm observado por muito tempo as imagens e sons da ruminação – como um monitor chave da saúde vaca lacta.

Vacas leiteiras ruminam 450-500 minutos por dia, e uma queda no tempo de ruminação é um sinal claro de que há algo impactante na função ruminal ou bem-estar animal. Como tal, o monitoramento de ruminação – especialmente em climas quentes e secos, onde as condições externas podem facilmente ter um efeito adverso – desempenha um papel importante em termos de saúde e produtividade.

Mudanças na ruminação, como resultado de doença ou outra alteração no bem-estar de uma vaca ocorre muito rapidamente, muitas vezes antes que os sinais físicos e sintomas clínicos apareçam e antes da produção de leite ser afetada. Acompanhar de perto a ruminação pode fornecer uma indicação precoce de uma nova situação ou problema em desenvolvimento.

É por isso que boa inteligência é tão importante. O monitoramento, tanto da atividade rotineira como da ruminação pode fornecer uma indicação muito precisa da saúde, bem-estar e estado do animal. A observação visual para detecção de calor, tanto como a observação visual da ruminação, são bastante limitadas, especialmente porque a ruminação ocorre de vez em quando ao longo do dia, e mais significativamente durante a noite. Mais importante ainda, porque ruminação é altamente individual, precisa ser medida por vaca com cada uma atuando como referência para si mesma.

Tecnologia israelense permite os produtores de leite utilizar uma combinação de dados de atividade e de ruminação como ferramenta de vigilância sanitária individual, e detecção de calor. O Heatime  Sistema HR SCR, impulsionado pela tag pescoço HR, que monitora constantemente a atividade e ruminação de vacas individuais é um exemplo desta tecnologia.

A tag HR é a primeira tecnologia no monitoramento de ruminação. Sua tecnologia exclusiva inclui um sensor de movimento que detecta a atividade, um microprocessador, memória e um microfone especialmente afinado que detecta sons da ruminação da vaca.

Cada tag HR coleta informações e transmite para o sistema SCR em tempo real, algumas vezes por hora, usando a tecnologia RF (radio frequência), para que a informação no sistema seja em tempo real em todos os momentos, não importa onde a vaca se encontre. Ambos os dados de ruminação e atividade são registrados no tag e armazenados em blocos de duas horas, para que os produtores possam facilmente identificar o perfil comportamental exato de cada animal.

Os dados da ruminação são, então, analisados pelo sistema usando algoritmos que fornecemaos pecuaristas, com o índice de saúde de cada vaca, apresentando alertas, listas e relatórios de fácil compreensão.

Esta forma única de análise revoluciona a gestão duma fazenda de gado leiteiro, possibilitando uma bem-cronometrada tomada de decisões relativas à detecção de calor e saúde da vaca com base em dados reais.

Detecção precisa de calor para otimizar a reprodução

Fertilidade e reprodução estão entre os aspectos mais importantes na administração da fazenda. O sucesso de uma fazenda depende da capacidade de gerenciar com eficiência e lucratividade a reprodução das vacas.

Em qualquer exploração leiteira, a identificação precisa das vacas é crucial. O monitoramento de ruminação junto com o monitoramento da atividade pode proporcionar um aumento significativo na detecção de calor. Como quase todas as vacas no cio apresentam uma queda correspondente na ruminação, monitorar individualmente esta atividade pode fornecer informações importantes das vacas no cio.

Em regiões quentes e áridas, há um impacto ambiental direto sobre a reprodução do gado, o que torna mais difícil conseguir vacas prenhas. Muitas vezes, como é o caso em Israel, a reprodução é quase inteiramente baseada na inseminação artificial (IA), o que significa que o tempo é tudo.

Para poupar tempo, esforço, dinheiro e trauma para a vaca, e simultâneamente aumentar as chances de inseminação bem-sucedida, é pertinente que os agricultores identifiquem com precisão o calor – algo que só é possível com um sistema de monitoramento eletrônico. A detecção de calor eletrônico permite ao produtor identificar o calor que em muitos casos não pode ser detectado com a observação visual.

Indicadores precoces de doenças e subnutrição

O comportamento da ruminação é influenciado por muitos fatores, principalmente pelas características da dieta e fatores nutricionais, como a digestibilidade dos alimentos, consumo de ração, e qualidade da forragem.

Em zonas áridas, onde os custos de alimentação são geralmente muito altos, os agricultores estão constantemente buscando racionar a quantidade de forragem para manter os custos baixos. O monitoramento de ruminação em particular é útil em termos de avaliação do impacto desse racionamento. Ao mesmo tempo, o monitoramento adequado da ruminação também assegura que as vacas sejam alimentadas corretamente, tanto para o seu bem-estar geral, como sua capacidade de máxima produção.

Mudanças de ração e reformulações de alimentação podem afetar muito rapidamente a saúde de vaca. Embora os efeitos possam não ser perceptíveis no nível de rebanho, os dados de monitoramento eletrônico de ruminação podem mostrar como as vacas individuais reagem às mudanças e fornecem alertas precoces de problemas de saúde do rúmen que poderiam ter sido desenvolvidos como resultado de mudanças da quantidade de alimentos fornecida.

Estresse provocado pelo calor

Outro problema comum para vacas em zonas áridas é o estresse de calor, que pode afetar significativamente a vaca, muitas vezes causando um declínio na produção de leite.

Como o estresse de alta temperatura afeta tanto a produção como o desempenho reprodutivo, é importante observar os diferentes efeitos do calor.

Padrões alimentares tendem a mudar de acordo com o ambiente. Vacas que sofrem de estresse por calor comem menos. Para complicar ainda mais, porque elas estão tentando dissipar o calor do corpo, ficam em pé, o que é problemático para a ruminação, que geralmente ocorre quando deitadas.

A mastigação e a ruminação ficam prejudicadas em vacas com estresse de temperatura, e é muito provável que elas não sejam capazes de produzir num nível superior. Para manter o desempenho das vacas e a produção de leite, é portanto, importante medir a ruminação em todos os momentos, para identificar com rapidez e precisão a angústia, e lidar com os sintomas adequadamente.

Por exemplo, para as vacas colocadas num ambiente quente de forma consistente, é mais eficiente deslocar uma grande parte da sua ingestão de alimento para as horas noturnas, pois a evaporação a partir do animal para o meio ambiente é reduzida durante a noite, resultando em menor gasto de energia durante do dia. Ao produzir menos calor metabólico durante as horas mais quentes do dia, as cargas de calor das vacas são reduzidas.

Com o monitoramento da ruminação, os agricultores podem também mudar os horários de alimentação para um grupo de vacas, e verificar se essas mudanças afetam positivamente a ruminação de um grupo, para chegar à melhor estratégia de alimentação em tempo quente para a manada como um todo.

Além disso, em climas áridos, onde os picos de temperatura e secas são comuns, monitorar cuidadosamente a ruminação pode permitir estratégias mais eficazes de redução de calor como a adição de ventiladores e aspersores no tempo de retenção no estábulo, ou aumentar o tempo na sombra, para evitar perdas na produção de leite, da ingestão alimentar e no desempenho reprodutivo.

Ordenha inteligente

Israel tem desenvolvido uma série de soluções de ordenha que são projetadas para economizar tempo e dinheiro e proteger o bem-estar da vaca.

Estas soluções são tomadas para otimizar o equipamento de ordenha que os produtores já têm na fazenda, sem a necessidade de mudanças. Um dos dispositivos mais populares do é o Free Flow  – um aparelho de medição de leite de alta precisão, sem partes móveis, que fornece dados contínuos de produção de leite, de alta resolução.

O sistema de fluxo livre dá aos agricultores a possibilidade de medir o fluxo de leite por raio infravermelho, sem que nada realmente toque no leite. O sistema necessita de manutenção zero, e com as suas pequenas dimensões, ocupa pouco espaço. Hoje, em fazendas ao redor do mundo existem mais de 300 mil desses medidores de leite eletrônicos altamente eficientes.

Pulsadores

Outro marco importante da indústria veio com o desenvolvimento dos primeiros pulsadores inteligentes. Os pulsadores podem ser ativados usando pulsação estimulada com uma pequena elevação da taxa de pulsação para estimular o fluxo de leite imediato. A relação de pulsação maior aumenta a velocidade média de leite em até 20 vezes. Isso ajuda a proteger o úbere e evitar o excesso de ordenha.

Para a verdadeira eficiência, todas as soluções de monitoramento e ordenha de vaca SCR podem ser gerenciados por um sistema central – o PC DataFlow II. Esta solução integrada de gestão e controlhe de ordenha proporcionam informações em tempo real sobre a reprodução, a saúde e o estado de bem-estar da vaca, bem como o processo de ordenha. A informação é recolhida pelo calor e as etiquetas de monitoramento da saúde e pelos pontos de ordenha e, em seguida, enviado para o sistema.

O impacto de excelente inteligência e tecnologias de ordenha podem ser vistos em ação no Kibbutz Kalia, localizado junto ao Mar Morto, cerca de 400m abaixo do nível do mar, com temperaturas de verão regularmente elevando-se acima de 50ºC. Com a ajuda de monitoramento e tecnologias para lidar com um dos ambientes de produção de leite mais difíceis do mundo, o kibbutz vem progredindo continuamente até atingir um rendimento médio anual de 11.063 kg de leite por vaca.

Da mesma forma, o Kibbutz Yotvata, localizado no deserto de Negev, não muito longe de Eilat, conseguiu superar o ambiente quente para se tornar um dos maiores e mais bem sucedidos laticínios em Israel.

Resumindo, tecnologia inteligente, adaptável, que pode satisfazer as necessidades de cada fazenda, mesmo em zonas áridas, é uma ferramenta vital para o aumento da produção de leite e criação de gado em geral.

Vencendo os desafios de um ambiente árido

A pecuária leiteira é um desafio, mesmo sob as condições mais ideais. Os produtores que operam em zonas áridas têm o desafio adicional de lidar com um duro ambiente natural. Os produtores de leite de Israel não só superam esses desafios, mas também os padrões de desempenho estabelecidos, conquistando recordes mundiais de produção e produtividade.

A chave para o sucesso é a tecnologia certa, para monitorar adequadamente a ruminação de cada vaca e padrões de atividade, para garantir vacas saudáveis e férteis para uma fazenda verdadeiramente produtiva.

 

Apoio: Ministério da Agricultura de Israel, Dr. Doron Bar, Cientista Chefe da SCR Tecnologias e Assossiação Israelense de Criadores de Gado

 

2018-08-28T13:36:08+00:00