Madeiras de árvores de reflorestamento podem ser alternativas na produção de bacon (derivado de suíno)

Por

Essa foi a conclusão a que chegou a pesquisadora Izabella Soletti  (mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos) em estudo realizado na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), ligada à Universidade de São Paulo (USP).

Como a defumação tradicional do bacon é feita com a queima de madeiras, Izabella empregou em seu estudo produtos de árvores de reflorestamento (acácia bracatinga e eucalipto) no processo de defumação e obteve um tipo de bacon que que não se diferencia das características do tradicional em crocância, suculência e sabor.

O resultado alcançado por Izabella em seu trabalho foi obtido dentro de um projeto que teve por fim, entre outros objetivos, reduzir impactos ambientais da produção de bacon defumado e contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

2019-03-29T15:43:44+00:00 16/04/2019|Categories: Ciência e Tecnologia|