Resumo da anatomia aviária

Por

Imagem:

Museu de Anatomia Veterinária Prof. Dr. Plínio Pinto e Silva (MAV). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ–USP).

Autor: Wagner Souza e Silva.

Via: Wikimedia Commons

Detalhes da imagem:

  1. Cérebro
  2. Cerebelo
  3. Ponte do bulbo
  4. Laringe superior
  5. Medula espinhal
  6. Esôfago
  7. Traqueia
  8. Papo
  9. Quilhado esterno ou carena
  10. Pulmão
  11. Coração
  12. Fígado
  13. Proventrículo
  14. Moela
  15. Rim esquerdo
  16. Intestino delgado
  17. Intestino Grosso
  18. Ceco intestinal
  19. Pâncreas
  20. Ovário
  21. Oviduto
  22. Ovo
  23. Bursa de Fabricius
  24. Cloaca

Sistema nervoso

A ave possui um sistema nervoso apurado e bem desenvolvido, apresentando excelente visão, audição, e tato, mas com poucas capacidades olfativas e gustativas. É responsável por coordenar e controlar o funcionamento normal de todos os órgãos, podendo ser dividido em:

  • SISTEMA NERVOSO CENTRAL: composto do cérebro e da medula espinhal e todas as ramificações da rede nervosa. A partir do cérebro partem vários nervos que recebem estímulos de percepções sensoriais como a visão, audição, olfato e paladar.
  • SISTEMA NEURO-VEGETATIVO: O sistema neuro-vegetativo é segmentado em sistema nervoso autônomo simpático e para-simpático.

Sistema digestório

Estruturalmente, o sistema digestório aviário permite uma passagem rápida e eficiente do bolo intestinal, funcionando de modo semelhante ao sistema gastrointestinal de carnívoros e herbívoros. Fazem parte os seguintes órgãos e anexos: bico, boca, glândulas salivares, língua, esôfago, papo, proventrículo, moela, intestinos, cecos, reto e cloaca.

A boca é responsável por coletar alimentos e água. Já as glândulas salivares servem para umedecer o alimento e assim facilitar sua passagem através do esôfago e o papo se apresenta como uma dilatação do esôfago capaz de armazenar alimentos. O proventrículo ou estômago verdadeiro é o local onde são produzidos sucos digestivos (pepsina, ácido clorídrico) através de várias glândulas. Consequentemente, o bolo alimentar passa para a moela que é o músculo mais forte e resistente na ave, onde  através de repetidas contrações e expansões transformam quaisquer partículas de alimentos.

A primeira porção do intestino é denominada duodeno, e a porção final é onde fica a inserção dos cecos intestinais, seguindo assim o intestino grosso. No intestino delgado os alimentos são absorvidos e os nutrientes, através das vilosidades intestinais entram na corrente sanguínea. Os cecos servem como depósito de material fecal, que passa pelo intestino grosso, e através da cloaca, para o exterior. O fígado, que é um órgão acessório na digestão, irá por sua vez sintetizar a bile que vai sendo depositada na vesícula e utilizada no desdobramento das gorduras e óleos. Além destas funções o fígado funciona como um reservatório de glicose e metaboliza substâncias.

Sistema urinário

O sistema urinário é formado por rins e ureteres. Os rins estão aderidos à parede dorsal do corpo, na região posterior da cavidade celomática. A urina produzida e formada por ácido úrico mistura-se com as fezes do intestino grosso e são eliminados juntos, sendo que a parte branca e pastosa corresponde àquela. A mistura de urina e fezes das aves contém aproximadamente 1,4 % de nitrogênio, 0,99 % de ácido fosfórico e 0,39 % de potássio, fato este que faz com que o esterco da galinha seja o adubo natural mais completo para a agricultura.

Sistema respiratório

O sistema respiratório das aves é assim descrito: orifício e cavidades nasais, faringe, laringe, traqueia, pulmões e sacos aéreos. Os sacos aéreos são importantes estruturas que permitem com que o animal possua uma eficiente circulação de ar pelos pulmões; funcione como um balão, tornando as aves mais leves para o vôo; responsáveis pela redução da fricção entre os músculos em movimento; e manter a temperatura corporal pela difusão do vapor d’água dos pulmões.

Sistema circulatório

O sistema circulatório das aves apresenta um coração com quatro câmaras: dois átrios e dois ventrículos. Ele funciona como duas bombas distintas, onde as câmaras direitas impulsionam sangue venoso e as da esquerda, sangue arterial.

Sistema reprodutor

Os machos não apresentam órgão copulador, possuindo dois testículos, sendo o testículo esquerdo maior do que o testículo direito, dos quais saem os canais deferentes, que terminam na cloaca. A transferência dos espermatozóides do macho para o corpo da fêmea se dá através da justaposição das cloacas que ocorre durante a cópula. Em relação às fêmeas, geralmente possuem o ovário e o oviduto direito atrofiados, sendo que essas estruturas aumentam de tamanho apenas durante a época de reprodução. O oviduto das fêmeas é dividido em: infundíbulo, magno, istmo, útero e vagina.

2018-11-19T19:11:42+00:00 19/11/2018|Categories: Animais Vistos por Dentro|