Senepol, a mais nova raça de corte do Brasil

Por e


Resumo

Originária da Ilha de Santa Cruz, no Caribe, a Senepol é a mais nova raça bovina de corte integrante da pecuária brasileira. Chegada ao Brasil no ano de 2000, trazida pelo empresário João Arantes Junior, proprietário da Fazenda Senepol Nova Vida, Ariquemes, Rondônia, e produto do cruzamento entre taurinos das raças Red Pol inglesa e N`Dama senegalesa, por sua constituição genômica voltada para a tolerância ao calor, resistência a ectoparasitas e doenças, é a raça que no seu curto espaço de tempo no Brasil, tem conquistado a preferência dos criadores e empresários rurais, no refrescamento de sangue do plantel de bovinos nacional e nos cruzamentos industriais. Adaptadas aos climas tropicais e temperado já ocupa mais da metade do território nacional, sendo a raça que mais cresce entre os criadores brasileiros, cerca de 50% a.a.

Abstract

Native to the Island of Santa Cruz, in the Caribbean, Senepol is the newest beef breed that is part of Brazilian livestock. Arriving in Brazil in the year 2000, brought by the businessman João Arantes Junior, owner of the Fazenda Senepol Nova Vida, Ariquemes, Rondônia, and product of the cross between taurine of the races Red Pol English and N`Dama Senegalese, for its genomic constitution focused on the tolerance to heat, resistance to ectoparasites and diseases, is the race that in its short time in Brazil, has won the preference of breeders and rural entrepreneurs, in the refreshment of blood of the national bovine stock and in industrial crossings. Adapted to tropical and temperate climates already occupies more than half of the national territory, being the breed that grows the most among Brazilian breeders, about 50% a.a.


 

Origem

Originária da ilha Saint Croix, parte do complexo insular do Caribe, América Central, essa raça bovina de corte, que tem como formadoras as raças Red Pol, inglesa e N` Dama, senegalesa, ambas Bos taurus, é o mais novo sangue de corte no Brasil.

Quis seu criador, o fazendeiro Henry C. Neltropp, (1889) detentor do maior rebanho da raça N`Dama, pura, da ilha, melhorar geneticamente seu plantel, com um animal que pudesse, após cruzamentos sucessivos, formar um bovino com características zootécnicas desejadas e adaptadas à ilha como: resistência ao calor, insetos, parasitas, doenças, etc, mas, também, sobretudo rusticidade às condições ambientais e das pastagens naturais insulares precárias existentes, na ilha. Coube a Bromley Neltroop, filho de Henry, vencer esse desafio e criar a nova raça. Após várias experiências com gado de origem europeia e fracassos zootécnicos sucessivos nessa tentativa, a raça britânica Red Pol foi a selecionada e preferida, sendo então usados touros para cobertura das vacas N`Dama, nascendo assim a Senepol; Sene de Senegal e Pol de Red, para homenagear e registrar a nova raça.

Em 1918, a base genética foi formada por Bromley com a finalidade de melhorar a aptidão bovina, produção de carne, fertilidade e o caráter mocho dos produtos. Após 57 anos de exaustivos melhoramentos genéticos e testes preliminares em várias fazendas dispersas na ilha, surgiu, em 1970, a Islands Beef Cattle Improvement Association (BCIA), Associação de Melhoramentos de Carne da Ilha, cuja finalidade era organizar, centralizar e padronizar os dados coletados dos animais e registro da nova raça.

A heterose obtida desses cruzamentos, (crossing), surpreendeu aos técnicos, criadores e geneticistas com os novos animais obtidos. As características fenotípicas e genotípicas dosadas, plasmadas, fixadas e transmitidas, de ambas as raças, nos endocruzamentos realizados revelaram um novo produto mestiço, assim identificado, por características zootécnicas transmitidas e recebidas:

a) N`Dama, Senegalês (Senegal, África Ocidental )

Rusticidade, resistência à pragas, doenças e intempéries, alta fertilidade, tropicalidade, etc.

b) Red Polled (Inglesa do condado de Suffolk )

Pelagem vermelha, caráter mocho, precocidade de abate, mista função zootécnica – carne e leite, docilidade, rusticidade, prolificidade e robustez.

c) Raça Senepol (Mestiça de Saint Croix, Caribe )

Porte médio, pelagem avermelhada, resistência às variações climáticas, doenças e parasitas, precocidade ao abate, docilidade, alta fertilidade, carne marmorizada, longevidade e robustez física.

Em 1954, a Senepol foi oficialmente registrada em Porto Rico e nos Estados Unidos com o nome de ” Saint Croix Senepol “.

Ilha de Sto Croix, Caribe, berço do Senepol

 O Senepol nos EEUU

Por fazer parte das Ilhas Virgens dos Estados Unidos, (1917) e existir intensas relações políticas e comerciais com os americanos, em 1977, criadores e fazendeiros de Saint Croix negociaram um pioneiro rebanho de 22 cabeças do Senepol para os EEUU. Foi a primeira vez, que um plantel da nova raça, reconhecida e categorizada, deixava o solo insular do Caribe e ganhava o mundo. No sul dos Estados Unidos, com melhores condições climáticas, pastagens e manejo o Senepol mostrou toda a sua performance zootécnica como produtor de carne, competindo com as raças autóctones tradicionais como: hereford, angus, devon, abeerden, braford, etc.

Atualmente, o Senepol por sua versatilidade e desempenho zootécnico é uma das raças preferidas pelos fazendeiros americanos para confinamento e criações extensivas; bem como, cruzamentos e mestiçagens. A Associação de Criadores de Gado Senepol, (Senepol Cattle Breeders Association) localizada na cidade de Wilmington, estado do Delaware, que cuida da raça, conta com mais de 500 criadores e mais de 60.000 animais em seu registro genealógico. O Senepol já pode ser encontrado em 21 estados americanos e ao redor do mundo em países como: Austrália, Paraguai, Colômbia, Argentina, Panamá, Canadá, República Dominicana, Equador, Nicarágua, Porto Rico, Venezuela, México, Filipinas, Zimbabwe e Brasil, onde a adaptação ao clima tropical foi condição necessária para a sustentabilidade e o desenvolvimento ponderal da raça com qualidade e eficiência. (ABCB, 2017).

Touro Deleck da CMI – Campo Grande, MS

O Senepol no Brasil

Com objetivos de diversificar o plantel de bovinos de corte, com refrescamento do sangue e melhoria da qualidade da carne brasileira produzida, os primeiros animais vivos Senepol chegaram ao Brasil, após rigorosa pré-seleção realizada, entre vários criadores dos Estados Unidos, pelo empresário João Arantes Junior (JAJ), fundador da Senepol Nova Vida, Ariquemes, estado de Rondônia, após aquisição do acervo da Sacramento Farm – Flórida/ EEUU, no ano 2000.

No solo brasileiro e já formado para povoar os trópicos, subtrópicos e climas temperados, facilmente o Senapol se adaptou e integrou a pecuária

nacional, estando hoje, espalhado em mais de 18 estados da federação, de norte a sul do país, destacando-se nos cruzamentos industriais, na produção de reprodutores e melhoramentos genéticos da pecuária brasileira.

Com respeito a Senepol Nova Vida, que integra um pool de empresas internacionais, adeptas da pecuária moderna, o sentido maior empresarial é explorar o potencial da raça em todas as suas dimensões comerciais e industriais, “in vivo” e “in vitro”. Desta forma, o Senepol é trabalhado tanto no campo, pecuária tradicional; como nos laboratórios, pecuária moderna, de fertilização “in vitro”, banco de sêmen, inseminação artificial e transferência de embriões.


Laboratório de Reprodução Animal.

Além do padrão racial desenvolvido para climas tropicais e temperados, graças a sua genômica de dupla aptidão genética, com sangue zebuíno e taurino, que facilita sua vivência em climas temperados e tropicais e cruzamentos industriais com raças zebuínas e européias, grande parte delas vivendo e encontradas no sul, centro-oeste e nordeste brasileiro, parece que o Senapol foi criado para satisfazer o pecuarista e empresário rural brasileiro e as condições ambientais e geográficas do Brasil.

Com apenas 17 anos de introdução no país, segundo a Associação Brasileira de Criadores de Senepol – ABCB, a raça está crescendo cerca de 50% ao ano, em todo o Brasil, em números de criadores, rebanho e ocupação territorial.

De acordo com a Associação a evolução é de quase 50% ao ano, o que faz com que o Brasil tenha se tornado o maior criador de Senepol do mundo.

Ainda, de acordo com o presidente a Associação, possui atualmente entre animais PC (puro por cruza) e PO (puro de origem) aproximadamente 22 mil cabeças com registro em 130 criatórios localizados em 14 Estados brasileiros, devendo atingir, até 2017, 150 mil cabeças no país. “Isso já faz Brasil o maior plantel de animais Senepol puros do mundo, sendo que a raça chegou ao país há apenas 17 anos.


Fazenda Nova Vida Senepol – Ariquemes, RO.

Os Estados brasileiros com maior número de animais são: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rondônia, São Paulo e Goiás.

“Nestes Estados estão aproximadamente 80% do plantel de Senepol do país, mas, a criação já está presente em 14 Estados, além do Distrito Federal. Como o Senepol é um taurino adaptado aos trópicos, nas regiões mais quentes, é evidente que se encontre nessa Região, a maior concentração da raça “. (ABCB. Goudard, 2017)

FICHA ZOOTÉCNICA DO SENEPOL

Porte – médio a grande com massa muscular robusta e harmoniosa;
Comprimento – média de 1.67cm;
Altura na cernelha – 1.34 cm;
Peso – touro 800 a 1 200kg; vaca adulta 500 a 700 kg;
Peso na desmama – bezerros 240 a 300 kg. bezerras 220 a 260 kg;
Reprodução – Fêmeas 14 meses; macho 18 meses;
Cor da pele – Vermelha, variando até a baio escuro;
Pele e pelo – Pele fina e pelos sedosos, finos e brilhantes;Temperamento – Dócil e olhar vivo;
Cabeça – Sem chifres (mocho dominante )

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2017-12-13T15:35:59+00:00