Números

Por Adeildo Lopes Cavalcante

Números 2018-01-16T01:31:39+00:00
2211, 2018

Produção de peixes redondos

22/11/2018|

A produção em cativeiro de peixes redondos, que incluem o tambaqui, o pacu, a pirapitinga e seus híbridos (cruzamentos dessas espécies), tem crescido expressivamente no Brasil nos últimos anos, igualando-se à produção de tilápia no biênio 2013/ 2014. Esse aumento deve-se principalmente ao tambaqui, principal espécie nativa cultivada no país, cuja produção em 2014 chegou a 139 mil toneladas, crescimento de 57% em relação ao volume produzido em 2013.

Dois principais fatores são responsáveis por este aumento: a legislação ambiental que proíbe a criação de tilápia em alguns estados da região Norte e Centro-Oeste e a retomada da produção dos peixes redondos em Rondônia.

Outros fatores também contribuíram para o sucesso dessas espécies: o fato de o peixe redondo ser uma espécie de rápido crescimento, de hábito alimentar diversificado, de fácil captura e possuir carne de boa qualidade, despertando o interesse de novos produtores.

CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL (CNA)

2211, 2018

Tuberculose em animais

22/11/2018|

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) liberou partidas que somam 292.350 doses de imunobiológicos para serem usadas no diagnóstico de tuberculose em animais. Os kits chamados de imunobiológicos foram produzidos pelo Instituto Biológico (IB) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo, única instituição a produzir o insumo no Brasil.

As doses poderão ser adquiridas por pecuaristas de todo o Brasil e terão capacidade para diagnosticar os animais nos testes de triagem e confirmatórios da doença. Sem esses testes, não é possível realizar compra, venda, trânsito e exportação de bovinos e aves pelo Brasil.

De acordo com o médico veterinário do IB, Ricardo Spacagna Jordão, os kits produzidos pelo IB são fundamentais para garantir a exportação pelo Brasil de carne e subprodutos. “O IB desempenha um papel estratégico para o comércio internacional de proteína animal do país”, diz o médico.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2211, 2018

Avicultura e suinocultura do Brasil

22/11/2018|

Terminou em outubro de 2018, em Paris, o maior evento internacional já realizada pela avicultura e pela suinocultura do Brasil, liderado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos  (Apex-Brasil) durante o Salon International de l’Alimentation (SIAL), em Paris (França).

Vinte e duas empresas participaram do evento, que viabilizou a realização de US$ 380 milhões em negócios, que serão consolidados ao longo dos próximos 12 meses.

De acordo com a ABPA, cerca de cinco mil importadores e potenciais clientes estiveram no espaço da avicultura e da suinocultura do Brasil.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL

2211, 2018

Confinamento de bovinos

22/11/2018|

Os confinamentos de bovinos localizados em Mato Grosso engordaram 743,8 mil animais em regime intensivo em 2018, registrando um aumento de 7,15% em relação aos 694,14 mil animais confinados no estado no ano anterior, informa a Associação dos Criadores de Mato Grosso (ACRIMAT) com base em dados do 3º Levantamento das Intenções de Confinamento de 2018, realizado pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária. O resultado representa o maior volume de gado confinado no estado em seis anos.

Nesta temporada, o porcentual de pecuaristas que optaram por confinar seus animais caiu para 63%, ante 68% registrado no ano passado. Sendo assim, os pecuaristas que concretizaram a intenção de confinar o fizeram com maior volume de gado. O consultor da ACRIMAT, Amado de Oliveira Filho, explica que este cenário ocorreu devido ao aumento nos custos de produção dos insumos usados na ração pecuária.

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE MATO GROSSO (ACRIMAT)

2211, 2018

Produção de suplementos minerais

22/11/2018|

A Cargill acaba de inaugurar a nova linha de produção de suplementos minerais da marca Nutron. Com investimento de R$ 25 milhões, a nova linha amplia a capacidade de produção da linha Probeef, composta de produtos que melhora os resultados do gado criado em pastagens.

A expansão da fábrica contou com a ampliação do armazém de matéria-prima em 3.600 m², silos de armazenagem com capacidade de 700 m³, moinho, silos de dosagem, misturador, silos de produto acabado, sistema de ensaque e paletização automatizado, bem como estrutura de porta pallets para armazenagem de matérias- primas.

Nas unidades fabris da Cargill são produzidos vários produtos destinados a produtores de proteína animal no Brasil, tais como premixes, núcleos, concentrados, ração, suplemento minerais, produtos lácteos e aditivos.

CARGILL NUTRIÇÃO ANIMAL DO BRASIL

2211, 2018

Exportação de carne de aves

22/11/2018|

O governo do México habilitou 26 novos estabelecimentos brasileiros para exportação de carne de aves. As habilitações foram resultado de missão de auditoria efetuada por autoridades mexicanas, em agosto de 2018. Essa medida representa aumento de 130% no número de estabelecimentos brasileiros agora aptos a exportar carne de aves àquele destino, que chega ao total de 46.

O México produz 3,9 milhões de toneladas de carne de frango e importa cerca de 640 mil toneladas, ou 13,4% do seu consumo. Os principais fornecedores são Estados Unidos, Brasil e Chile. Em dados de janeiro a outubro de 2018, os envios somaram US$ 138 milhões, ante US$ 185 milhões, em 2017.

O mercado mexicano teve um crescimento significativo nas compras de carne de frango brasileira em 2018. Entre janeiro e outubro deste ano, o México importou 95,5 mil toneladas, volume 8% superior às 88,5 mil toneladas embarcadas no mesmo período de 2017.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

511, 2018

Consumo de carne suína

05/11/2018|

Três em cada quatro lares no Brasil consomem carne suína. Em números, isso significa que a carne suína chega a mais 40 milhões de casas, com 75% de penetração na cesta de compras dos consumidores. São mais de 430 milhões de toneladas de carne consumidas ao ano.

A carne suína tem o melhor potencial em relação a seus produtos concorrentes, as outras proteínas. A penetração do produto suíno chega a 75,8% dos lares contra 97,7% do frango, por exemplo.

Os dados acima são da pesquisa inédita contratada pela  Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), realizada pela Kantar WorldPanel, um dos mais respeitados institutos de pesquisas internacionais.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE SUINOS (ABCS)

511, 2018

Peixes ornamentais

05/11/2018|

O Brasil tem hoje 725 espécies de peixes e outros animais aquáticos liberados para comercialização. Nesse quadro, o Brasil se destaca como um dos principais países com alta variedade de espécies de finalidade ornamental e de aquarofilia (criação em aquário), ao lado de China, Alemanha, Singapura e Estados Unidos.

As espécies de maior valor entre os aquariofilistas são típicas do Brasil, como a arraia (Potamotrygon sp.), natural da Amazônia. Atualmente, o Pará é o estado que mais exporta essa espécie, mas o Ceará é o que mais fatura no preço do peixe, obtendo, em média, U$ 42,19 por unidade.

NÚCLEO PESCA E AQUICULTURA DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA)

511, 2018

Projetos em aquicultura

05/11/2018|

O governo federal vai ceder o uso de águas sob domínio da União para projetos em aquicultura. São 48 áreas em Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. São águas no mar e também em represas de usinas hidrelétricas.

As áreas podem produzir 31 mil toneladas de pescado por ano. A concessão terá prazo de 20 anos, ao longo dos quais a União estima arrecadar R$ 616 mil. Atualmente, o consumo de pescado no Brasil é de 10 kg per capita, metade da média mundial.

SECRETARIA GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

511, 2018

Mercado de cavalos

05/11/2018|

O mercado de cavalos do país continua crescendo e se tornou um dos mercados mais lucrativos dentro do agronegócio. Segundo a ABCCMM (Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador) o setor fatura aproximadamente 16 bilhões de reais por ano, emprega três milhões de pessoas e cresceu 12% em apenas 10 anos.

De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), o Brasil possui a quarta maior tropa de cavalos do mundo. Atualmente a tropa brasileira possui 5.496.817 cavalos e esse número é reflexo do alto investimento em melhoramento genético, nutrição, medicamentos, profissionais e treinadores.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DO CAVALO MANGALARGA MARCHADOR (ABCCMM)

511, 2018

Produção de ovos

05/11/2018|

A produção brasileira de ovos totalizou 39 bilhões de unidades em 2016, um recorde que colocou o Brasil como sétimo maior produtor mundial. A média mundial é de 230, mas supera 300 ovos por pessoa em vários países, como China, Dinamarca e México.

Em 2010, o brasileiro consumia 137 ovos por ano. Sete anos depois, o número saltou para 190, crescimento de 38,6%%. “O consumo per capita do brasileiro é expressivo, mas o setor ainda tem muito espaço para crescer no país”, diz Ricardo Santin, vice-presidente de Mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e presidente do Instituto Ovos Brasil, entidade criada em 2007 com o objetivo de disseminar as propriedades nutricionais do ovo e promover o consumo do produto.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL (ABPA)

511, 2018

Produção de leite

05/11/2018|

A produção de leite sob inspeção no Brasil fechará 2018 com crescimento próximo de 0%, segundo projeta o setor de Desenvolvimento Socioeconômico do núcleo gado de leite da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O setor fechou o primeiro semestre deste ano registrando uma queda de produção da ordem de 0,3%, comparado ao mesmo período de 2017. Entre os fatores que contribuíram para o resultado ruim estão a greve dos caminhoneiros e o aumento dos custos de produção.

“Em maio, quando ocorreu a greve, registrou-se o pior índice que se tem notícia para um único mês, com a produção ficando 9,3% mais baixa que o ano anterior”, diz o pesquisador da Embrapa Glauco Carvalho. Esse número revela que deixaram de ser captados 176,7 milhões de litros de leite.

A estagnação acontece depois de um ano (2017) em que a produção cresceu 5%, deixando para traz um longo período de crise.

SETOR DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO DO NÚCLEO GADO DE LEITE DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA)

110, 2018

Vigilância agropecuária

01/10/2018|

Mais de 100 mil operações de exportação de produtos de origem animal foram registradas no Sistema de Informações Gerenciais de Trânsito Internacional de Produtos e Insumos Agropecuários (SIGVIG), desde sua implantação em janeiro de 211. Os produtos de origem animal envolvem aproximadamente 350 mil operações/ano e os demais 250 mil, somando 600 mil operações anuais do agronegócio.

O SIGVIG faz parte do Portal Único de Comércio (PU) do governo federal. A inclusão no SIGVIG é uma exigência para que o produto seja exportado. O Mapa foi o primeiro órgão federal a aderir ao Portal, por meio do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro/SDA).

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

110, 2018

Produção de tilápias

01/10/2018|

Inaugurada em 27 de junho de 2008, a unidade industrial de peixes da Cooperativa Agroindustrial Consolotya (Copacol) comemorou, em 2018, seus 10 ano de crescimento, gerando oportunidades para mais de mil colaboradores e 220 produtores.
A Indústria de peixes da Copacol se tornou a maior da América do Sul em volume de produção, com o abate diário de 140 mil cabeças de tilápias.

No início a cooperativa contava com a participação de apenas 33 piscicultores, que apostaram e acreditaram no projeto da piscicultura da cooperativa, transformando-a em modelo para o país.

COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL CONSOLOTYA (COPACOL)

110, 2018

Produção de carne e frango

01/10/2018|

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou o resultado de estudo elaborado por sua Secretaria de Política Agrícola, no qual é observado que a melhora na produtividade é responsável por 80% do crescimento da agropecuária brasileira.

No estudo foram utilizados dados de 1975 e de 2016, ou seja, resultados que refletem a evolução do setor em pouco mais de quatro décadas. Alguns produtos foram destacados pelo MAPA no estudo: a pecuária aumentou de 1,8 milhão/t para 7,4 milhões/t, o volume de carne suína cresceu de 500 mil/t para 3,7 milhões/t e o de frango de 373 mil/t para 13,23 milhões/t.

Nesses exemplos, o que mais chama a atenção é o índice de evolução da produção de carne de frango: enquanto os demais produtos registram incremento que varia entre 300 e 600% o da carne de frango vai além dos 3.000%.

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

110, 2018

Rebanho de bovinos

01/10/2018|

Com alta de 1,4% em 2016, em relação ao ano anterior, o efetivo nacional de bovinos atingiu a marca de 218,2 milhões de cabeças, a maior desde 1974, quando começou a série histórica do IBGE. O Centro-Oeste concentrou 34,4% do rebanho nacional, com destaque para o Mato Grosso, que possui 30,3 milhões de cabeças (13,9% do total), um crescimento de 3,2%. Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul representaram, respectivamente, 10,8%, 10,5% e 10,0% do efetivo nacional. Entre os 20 municípios com os maiores efetivos, 13 estavam no Centro-Oeste, seis no Norte e um no Sul, com São Félix do Xingu (PA), Corumbá (MS) e Ribas do Rio Pardo (MS) com os maiores rebanhos.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

110, 2018

Mortandade de abelhas

01/10/2018|

Apicultores de São Paulo enfrentam um problema grave: abelhas aparecem mortas, aos milhões. O assunto despertou interesse de pesquisadores de duas universidades paulistas.

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista e da Universidade Federal de São Carlos coletaram amostras das abelhas mortas.

Em 78 cidades de São Paulo, os pesquisadores calculam que quase 255 milhões de abelhas morreram entre os anos de 2014 e 2017, e 107 produtores enfrentaram o problema. Na maioria dos casos, o uso de agrotóxicos provocou a mortandade.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA E UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

110, 2018

Rebanho de búfalos

01/10/2018|

A produção agropecuária tem enorme importância no Pará e há um setor que chama a atenção: a criação de búfalos na Ilha de Marajó. Localizada no norte do estado, em uma área em que nem os pescadores sabem dizer onde termina o rio e começa o mar, a ilha concentra o maior rebanho de búfalos do Brasil.

De acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), do IBGE, o Pará contava com cerca de 520 mil cabeças (38% do total nacional) em 2016, das quais mais de 320 mil estavam na costa norte e nordeste da ilha.

Só o município de Chaves concentra pouco mais de 30% do rebanho do estado (cerca de 160 mil animais) – para se ter uma ideia, o segundo município com o maior número de búfalos no Brasil é Cutias, no Amapá, onde havia pouco menos de 77 mil cabeças.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

2808, 2018

Caprinos e ovinos

28/08/2018|

O Nordeste brasileiro é a única região onde os rebanhos de caprinos e de ovinos cresceram ao mesmo tempo, entre os anos de 2006 e 2017. É o que revela o Censo Agropecuário 2017 recém-concluído pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgado (IBGE) e divulgado por aquele órgão. Na região, o rebanho de caprinos teve aumento de 18,38%, passando de cerca de 6,4 milhões de cabeças para 7,6 milhões. No caso dos ovinos, o Nordeste foi, ainda, a única região do país a ter crescimento de rebanho entre um censo e outro, passando de 7,7 milhões de animais em 2006 para cerca de 9 milhões em 2017, registrando crescimento de 15,94%.

CENSO AGROPECUÁRIO 2017 DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA

2808, 2018

Exportação de carnes

28/08/2018|

No mês de maio, o Brasil realizou a sua primeira exportação de carne bovina resfriada para Israel. O embarque foi possível após uma série de garantias técnicas fornecidas pelas empresas associadas à Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes Bovinas (ABIEC), o que elevou o prazo de validade da carne bovina resfriada para aquele país para 85 dias. Com isso, apesar de os volumes ainda serem pequenos, a expectativa é de que o início da exportação desse tipo de produto represente uma oportunidade para o Brasil ampliar sua participação no mercado de Israel, um dos vinte maiores importadores de carne bovina do mundo.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES (ABIEC)

2808, 2018

Produção de moluscos

28/08/2018|

O cultivo de moluscos e a criação de aves estão entre as atividades econômicas de maior destaque em Santa Catarina. A produção nacional de ostras, mexilhões e vieiras é quase exclusividade do litoral catarinense.

De acordo com a Produção Pecuária Municipal (PPM), do IBGE, foram 20.828 toneladas em 2016, o que corresponde a 97,9% da malacocultura (cultivo de ostras, mexilhões e vieiras), explorada no país.  Já o rebanho de galináceos (dentre elesgalinhas, perus e perdizes.) é o terceiro maior do país, com 140 milhões de cabeças, atrás apenas de Paraná e de São Paulo.

Pela primeira vez incluída em um Censo Agropecuário, a pesquisa sobre produção de moluscos – ou malacocultura – exigiu do IBGE a definição de diretrizes específicas como, por exemplo, em que ponto da fazenda marinha a coleta de dados deveria ser feita. “Como a área de cultivo é no mar, ficou definido que os questionários devem ser respondidos no ponto de desembarque da produção”, conta o engenheiro agrônomo e analista censitário, Caio Andrade.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

2808, 2018

Censo agropecuário

28/08/2018|

O Censo Agropecuário 2017 do IBGE revela uma mudança no perfil das criações de animais do Piauí. Na última década, entre 2006 e 2017, a criação de bovinos caiu de 1,6 milhão de cabeças para 1,4 milhão. A de bubalinos caiu de 595 para 546 cabeças. Por outro lado, a criação de animais de médio porte cresceu no Piauí. A de caprinos passou de 1,4 milhão de cabeças para 1,8 milhão. A de ovinos, passou de 1,3 milhão para 1,6 milhão.  A de suínos conseguiu atingir a marca de 1 milhão também.

Um destaque importante nas criações é a avicultura, que cresce em ritmo intenso com a chegada de novas granjas ao estado. Em 2006 eram 8 milhões de aves, agora são mais de 10,4 milhões. Com isso mais que dobrou a produção de ovos de galinha. Em 2006 foram produzidos menos de 14 milhões e em 2017 o número passou de 29 milhões.

“Temos percebido essa tendência de queda nas criações de animais de grande porte e uma tendência inversa nos animais de médio porte. É mais difícil trabalhar com grandes animais. Com médios e pequenos animais, o retorno financeiro é mais rápido. Bovinos e bubalinos levam até 30 meses para ter retorno financeiro, um tempo que não é razoável para muitas famílias que dependem desse dinheiro. Já os animais de médio porte geram retorno entre 6 e 8 meses”, explica Pedro Andrade de Oliveira, coordenador do Censo Agropecuário 2017.

CENSO AGROPECUÁRIO 2017 DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

2808, 2018

Exportações de carne bovina

28/08/2018|

As exportações brasileiras de carne bovina aos países árabes somaram US$ 189,75 milhões no primeiro trimestre de 2018, um aumento de 37,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram embarcadas 48,51 mil toneladas, um crescimento de 59% na mesma comparação, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços compilados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira.

O Egito foi o principal destaque, com compras no valor de US$ 138,58 milhões, um avanço de 193% sobre os três primeiros meses de 2017. Houve, no entanto, uma redução de 43,7% na receita com os embarques ao país em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

2808, 2018

Produção de leite

28/08/2018|

A produção de leite vem crescendo cada vez mais em Santa Catarina. Em dez anos, o estado ampliou em 82% a sua capacidade produtiva, chegando a 3,1 bilhões de litros produzidos em 2016. No mesmo período, a produção brasileira aumentou 32%.

De 2006 a 2016, Santa Catarina saltou de 1,7 bilhão de litros produzidos para 3,1 bilhão de litros – tornando o estado o quarto maior produtor nacional de leite.

SECRETARIA DE AGRICULTURA E DA PESCA DO ESTADO DE SANTA CATARINA

2808, 2018

Produção de carne

28/08/2018|

O Paraná consolidou a posição de maior produtor de carnes do país, com 21% de participação no total do Brasil, conforme levantamento divulgado pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social com base em dados da Pesquisa Trimestral de Abate de Animais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estado produziu 2,64 milhões de toneladas de carnes de frango, bovina e suína no primeiro semestre de 2017. O Brasil, por sua vez, produziu 12,22 milhões de toneladas.

O maior destaque, conforme a pesquisa, foi a avicultura paranaense, com 2,11 milhões de toneladas no primeiro semestre – 1,3% a mais do que no mesmo período do ano passado. Sozinho, o Paraná representou 31,3% da produção brasileira de carne de frango.

Com o resultado, o estado se manteve em primeiro lugar na avicultura nacional, à frente de Santa Catarina (com 1,05 milhão de toneladas) e do Rio Grande do Sul (810,2 mil toneladas).

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SOCIAL

2507, 2018

Criação de bezerros

25/07/2018|

O Grupo Carrefour e o Instituto para o Comércio Sustentável de Mato Grosso lançaram na capital daquele estado (Cuiabá) programa de fomento à produção e criação de bezerros de maneira sustentável. Participam do Programa “Produção Sustentável de Bezerros” pequenos produtores de 450 propriedades nas regiões leste e noroeste de Mato Grosso, conhecidas como Vale do Juruena e Vale do Araguaia. Essas regiões respondem por cerca de 40% da produção de bezerros do estado.

GRUPO CARREFOUR/INSTITUTO PARA O COMÉRCIO SUSTENTÁVEL DE MATO GROSSO

2507, 2018

Rebanho leiteiro

25/07/2018|

A qualidade genética do rebanho leiteiro nacional foi o grande destaque da 15ª edição da Megaleite (Exposição Internacional do Agronegócio do Leite), promovido pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando.

Mais de 80 empresas apresentaram seus produtos e serviços na feira. Já a mostra de animais contou com 1.918 animais das raças Girolando, Gir Leiteiro, Holandês, Jersey, Pardo-Suíço, Guzerá e Guzolando, número 12% superior ao de 2017.

Foram realizados nove leilões e um shopping na Megaleite, que, juntos, movimentaram R$ 3.763.700,00. O total de negócios feitos pelas empresas somou R$ 25 milhões.

ASSOCIAÇÂO BRASILEIRA DOS CRADORES DE GIROLANDO

2507, 2018

Bovinos da raça Brangus

25/07/2018|

Nos últimos dez anos, o número de registros de bovinos da raça Brangus (de corte) cresceu mais de 80% no Brasil, passando de cerca de seis mil para 10.785 animais registrados. A maior parte do rebanho Brangus registrado ainda está no Rio Grande do Sul; porém, a raça é encontrada desde o extremo sul até o extremo norte do país, nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Pará. Desde o início da Associação, até o ano de 2016, foram registrados 425 mil animais da raça em todo o país.

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE BOVINOS DA RAÇA BRANGUS

2507, 2018

Carne de frango

25/07/2018|

As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in naturae processados) totalizaram 1,601 milhão de toneladas entre janeiro e maio de 2018, conforme levantamentos feitos pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O saldo acumulado pelo setor no ano foi 8,5% inferior em relação ao ano passado, quando foram obtidos 1,750 milhão de toneladas.

Em receita, as vendas de carne de frango alcançaram US$ 2,602 bilhões, saldo 12,3% menor que os US$ 2,966 bilhões registradas nos cinco primeiros meses de 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL (ABPA)

2507, 2018

Piscicultura ornamental

25/07/2018|

A piscicultura ornamental ganha espaço na Zona da Mata mineira, onde o setor mantém o maior polo de produção da América Latina, responsável por cerca de 70% do abastecimento ao mercado brasileiro.

Desde os anos finais da década de 1970, produtores de arroz, café e leite migraram aos poucos para esse nicho de negócios, que reúne, hoje, 80 famílias só na cidade de Patrocínio do Muriaé, de cinco mil habitantes. Compõem, ainda, o cinturão da atividade na região Muriaé, Miradouro, São Francisco do Glória, Barão do Monte Alto, Vieiras e São Francisco.

ASSOCIAÇÃO DOS AQUICULTORES DE PATROCÍNIO DE MURIAÉ E BARÃO DO MONTE ALTO DE MINAS GERAIS

2507, 2018

Abate de bovinos

25/07/2018|

O Brasil teve 7,5 milhões de cabeças de bovinos abatidas sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária no primeiro trimestre de 2018. O volume foi 1,4% maior que o registrado em igual trimestre de 2017 e indica queda de 6,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

De acordo com o instituto, a produção de 1,83 milhões de toneladas de carcaças bovinas no 1º trimestre de 2018 recuou 10% em relação ao 4º trimestre de 2017 e subiu 1,8% quando comparada ao desempenho registrado no 1º trimestre de 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

2507, 2018

Melhoramento genético de zebuínos

25/07/2018|

A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu adotou mais uma medida para o melhoramento genético dos rebanhos: a partir de 17/07/2018, criatórios comerciais passaram a contar com uma modalidade específica do Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos (PMGZ), o PMGZ Comercial.

Diferentemente do PMGZ tradicional, destinado ao gado registrado em seleções para o melhoramento genético, o PMGZ Comercial é uma ação que visa atender os rebanhos produtores de carne e leite. A ideia é oferecer meios que permitam ao criador aumentar a produtividade e, consequentemente, o lucro. A iniciativa da ABCZ já conta com o primeiro parceiro: grupo Agro Maripá, que inscreveu 15 mil matrizes da raça Nelore.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE ZEBU (ABCZ)

2306, 2018

Carne suína

23/06/2018|

Único estado brasileiro habilitado a exportar carne suína para Coreia do Sul, Santa Catarina conclui as negociações e envia o primeiro carregamento do produto ao novo mercado. O carregamento ficou a cargo da JBS da Seara e compreende 50 toneladas de cortes suínos (pernil, paleta, barriga e copa de lombo).

A escolha se deve ao status sanitário diferenciado de Santa Catarina, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa sem vacinação. O estado é atualmente maior produtor e exportador de carne suína do Brasil.

SECRETARIA DA AGRICULTURA E PESCA DE SANTA CATARINA

2306, 2018

Produtividade pecuária

23/06/2018|

O governo federal anunciou a liberação de R$ 194,3 bilhões para o Plano Agrícola e Pecuário 2018/19. O valor foi informado durante cerimônia no Palácio do Planalto e estará disponível aos produtores entre 1º de julho de 2018 e 30 de junho de 2019.

Um dos destaques do plano, na área da pecuária, é o que estabelece prazo de até dois anos no crédito de custeio para a retenção de matrizes bovinas de leite, suínas, caprinas e ovinas. Também foi aprovada linha de financiamento de até R$ 50 milhões para capital de giro a cooperativas de leite, com juros de 7% a.a. e 12 meses de prazo para pagamento.

Para melhorar a produtividade pecuária e a qualidade do rebanho, foi reforçado, dentro do Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária), o apoio para aquisição de matrizes e reprodutores com registro genealógico. O limite de financiamento para essa finalidade aumentou de R$ 330 mil para R$ 650 mil por beneficiário.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2306, 2018

Caprinos e ovinos

23/06/2018|

As ações do governo do estado destinadas a fortalecer o setor de criação de caprinos e ovinos têm permitido a Paraíba conquistar novos índices naquele setor da pecuária.

O estado continua se destacando na produção de leite de cabra no país com 13 mil litros diários, apesar dos longos períodos de estiagens.  Em estados que sempre se destacaram naquela atividade, como Rio Grande do Norte, Pernambuco e Minas Gerais, a produção é inferior a 10 mil litros.

COMISSÃO NACIONAL DE CAPRINOS E OVINOS DA CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL

2306, 2018

Febre aftosa

23/06/2018|

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi recebeu, em Paris, durante a 86ª reunião da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) certificado que confere ao Brasil o status de livre da febre aftosa com vacinação.

“A partir desse reconhecimento, diz o ministro, o Brasil tem novo status no mercado mundial e poderá acessar mercados que ainda estão fechados, destacando-se China e Japão. Antes da decisão da OIE, não era possível, por exemplo, exportar para a China carne que contém osso”.

Hoje, o Brasil tem o maior rebanho comercial do mundo, com 218,7 milhões de cabeças de bovinos e búfalos. É também o maior exportador de carne com vendas para mais de 140 países.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2306, 2018

Produção de tilápia

23/06/2018|

A produção brasileira de tilápias, o peixe de água doce mais consumido no país, cresceu 8% em 2017 em comparação com 2016, atingindo 357 mil toneladas.

O incremento fez com que o Brasil superasse Filipinas e Tailândia, assumindo o quarto lugar entre os maiores produtores mundiais desse pescado. A produção de tilápia representa 51,7% da aquicultura nacional (criação de peixes, moluscos e crustáceos em ambientes aquáticos).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PISCICULTURA

2306, 2018

Ovos férteis e pintos

23/06/2018|

O Brasil já pode exportar ovos férteis e pintos de um dia para o Quênia, na África. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento recebeu a aprovação do certificado zoosanitário internacional pelo serviço veterinário daquele país. Somente, em 2018, é o terceiro país a autorizar a importação de materiais de multiplicação de aves, depois do Taiwan e Marrocos.

Com a aceitação das propostas dos certificados veterinários, Quênia passa a integrar grupo de cerca de 50 países das Américas, Oriente Médio, África, Europa e Ásia que compram regularmente material genético avícola do Brasil.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2905, 2018

Integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF)

29/05/2018|

Com uma produtividade de até 32 arrobas de carne bovina por hectare em um ano, o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) conseguiu uma produtividade cinco vezes maior do que a média nacional e oito vezes maior do que a média de Mato Grosso. O resultado foi obtido no primeiro ano de avaliação do componente animal do sistema no Núcleo Agrossilvipastoril da EMBRAPA, em Sinop (Mato Grosso).

A área avaliada, que conta com pasto de Brachiaria brizantha cv Marandu e cultivo de lavouras de soja e milho, possui, a cada 37 metros, uma linha de eucalipto. As árvores proporcionam a ciclagem de nutrientes no sistema e acesso à sombra aos animais da raça Nelore.

NÚCLEO AGROSSILVIPASTORIL DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROECUÁRIA (EMBRAPA)

2905, 2018

Gado vivo

29/05/2018|

As exportações de gado vivo seguem em ritmo acelerado em 2018. Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, em março o Brasil exportou 45.200 cabeças de bovinos vivos, com faturamento total de US$ 34,5 milhões. Em relação ao mesmo período do ano passado, a quantidade e o faturamento foram 19,3% e 25,5% maiores, respectivamente.

Os animais tiverem como destinos a Turquia (33.000 cabeças), o Líbano (9.300 cabeças) e a Jordânia (2.800 cabeças).

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇO

2905, 2018

Própolis verde

29/05/2018|

A própolis verde, produzida somente em Minas Gerais, chega a atingir mais de US$ 100 por quilo, enquanto o mel in natura recebe, em média, US$ 4 por quilo. O produto já tem certificação de indicação geográfica e, em breve, contará com um selo de garantia de origem e qualidade.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EXPORTADORES DE MEL

2905, 2018

Galinhas livre de gaiolas

29/05/2018|

A cooperativa Central Aurora de Alimentos, localizada em Santa Catarina, anunciou o compromisso de que até 2025 cem por cento dos ovos utilizados em sua cadeia de suprimentos sejam oriundos de galinhas livres de gaiolas.

“Na condição de terceiro maior grupo brasileiro de produtos cárneos, a cooperativa manterá somente fornecedores que utilizem, como matéria-prima, ovos provenientes de galinhas poedeiras livres de gaiolas”, diz o presidente da Aurora, Mário Lanznater, e acrescenta:

“No setor da avicultura industrial, a cooperativa honra e mantém o compromisso do bem-estar das aves; por isso, é incentivadora de projetos de pesquisa e geradora de melhores práticas na avicultura”.

COOPERATIVA CENTRAL AURORA DE ALIMENTOS

2905, 2018

Couros e peles

29/05/2018|

As exportações brasileiras de couros e peles em 2017 foram maiores do que as registradas em 2016. É o que mostram os números divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, com análise da Inteligência Comercial do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB).

De janeiro a abril, foram embarcados 68 milhões de metros quadrados de couro brasileiro para o mundo, uma alta de 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo o ministério. o Rio Grande do Sul superou São Paulo no ranking dos estados que mais exportam couro no país. Os gaúchos respondem por 19,1% das exportações em valores e os paulistas por 18,9%.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

2905, 2018

Exportações de carne

29/05/2018|

Grande exportador de carne suína e de frango, o estado de Santa Catarina vem ganhando espaço também nas vendas internacionais de carne bovina. A quantidade exportada ainda é pequena, porém o número vem crescendo ano a ano. No primeiro trimestre de 2018, já foram embarcadas 1,2 mil toneladas de carne bovina – quatro vezes mais do que no mesmo período de 2017.

Nos últimos três meses, o faturamento com as exportações do produto passou de US$ 4,1 milhões – 277,2% a mais do que no primeiro trimestre do último ano. O principal destino para a carne bovina catarinense é Hong Kong, que compra 77% do total exportado.

SECRETARIA DE AGRICULTURA E PESCA DE SANTA CATARINA

1204, 2018

Carne suína

12/04/2018|

Os embarques brasileiros de carne suína podem ser beneficiados com a possível elevação da tarifa de importação da China aos Estados Unidos. A constatação é do presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, a partir do anúncio do Ministério do Comércio chinês da possibilidade de aumento para 25% das tarifas para produtos suínos norte-americanos.

Em 2017, os Estados Unidos exportaram para a China o equivalente a 275 mil toneladas de carne suína ”in natura”, gerando receita de US$ 488 milhões.  No mesmo período,  conforme a ABPA,  o Brasil embarcou 48,9 mil toneladas para o território chinês, com receita de US$ 100,6 milhões.

De acordo com Turra, os importadores chineses já vinham incrementando suas compras desde janeiro deste ano.  No bimestre, a alta acumulada chega a 140%, com 25,5 mil toneladas embarcadas.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL (ABPA)

1204, 2018

Produtividade do frango

12/04/2018|

Os números finais do IBGE relativos à produção animal de 2017 mostram, em relação ao frango, que caiu no ano o número de cabeças abatidas (-0,32%), sem que houvesse queda no volume produzido.

Ao contrário, o volume de carne de frango gerado pelos abates levantados aumentou 2,79% em relação a 2016, resultado obtido através do aumento da produtividade do frango. Comparativamentea 2016, o peso médio registrado aumentou 3,13%.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

1204, 2018

Preço pago ao produtor

12/04/2018|

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA) da Universidade de São Paulo começou a adotar mudanças em seu indicador de preço pago ao produtor. A partir de agora, em vez de receber dos laticínios apenas os preços médios, mínimos e máximos gerais, o CEPEA passará a ter os dados brutos para fazer os cálculos internamente.

“Tínhamos um trabalho grande de checar esses dados, porque os valores deveriam ser ponderados (avaliados) pelo volume captado (ou seja, preços pagos por volumes maiores têm peso maior na hora da conta), mas nem sempre esse entendimento era simples”, explica Natália Grigol, pesquisadora do CEPEA.

Com a mudança, a equipe do órgão fará a ponderação, aumentando a precisão do indicador.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA (CEPEA) DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

1204, 2018

Abate de bovinos

12/04/2018|

Após três anos de quedas, o abate de bovinos voltou a crescer no Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o país abateu 30,8 milhões de cabeças em frigoríficos com algum tipo de inspeção sanitária, o que representa um aumento de 3,8% em relação ao número de animais abatidos no ano anterior.

Ao fechar 2017 com abate de 30,8 milhões de cabeças, o setor da pecuária abateu mais 1,1 milhão de cabeças de gado do que em 2016. Esse foi o primeiro crescimento anual após quedas entre 2014 e 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

1204, 2018

Carne de frango

12/04/2018|

A melhora na produtividade é responsável por 80% do crescimento da agropecuária brasileira, segundo estudo realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No trabalho, que reuniu dados do período 1975-2016, consta que a produção da pecuária aumentou de 1,8 milhão/t para 7,4 milhões/t, o volume de carne suína cresceu de 500 mil/t para 3,7 milhões/t e o de frango de 373 mil/t para 13,23 milhões/t.

Nesses exemplos, o que mais chama a atenção é o índice de evolução da produção de carne de frango. Ou seja: enquanto os demais produtos registraram incremento que varia entre 300 e 600% o da carne de frango ficou em torno dos 3.000%.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

1204, 2018

Pesca e Aquicultura

12/04/2018|

Em dez anos, entre 2005 e 2015, a produção do peixe mais cultivado no Brasil, a tilápia, cresceu 223% com a modernização e a intensificação da produção tanto em tanques-rede em reservatórios quanto em viveiros escavados.

Esses dados são do núcleo Pesca e Aquicultura da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e constam das atividades de um projeto que reúne sete grandes polos de produção da espécie, o qual é coordenado e executado por aquela empresa. Os polos são: Orós e Castanhão, no Ceará; Submédio e Baixo São Francisco, na divisa dos estados da Bahia, Pernambuco e Alagoas; Ilha Solteira, na divisa de São Paulo com Mato Grosso do Sul, regiões Norte e Oeste do Paraná e Baixo Vale do Itajaí, em Santa Catarina.

NÚCLEO PESCA E AQUICULTURA DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROECUÁRIA

2702, 2018

Programa Balde Cheio

27/02/2018|

Produtores do Programa  Balde Cheio em Minas Gerais produziram cinco vezes mais leite em 2016 do que a produção média nacional estimada por fazenda leiteira. A partir de uma amostra de 288 produtores de 108 municípios do estado, observou-se que a produção diária de leite de uma propriedade assistida pelo programa foi de 391 litros, enquanto a média nacional é de 72 litros ao dia por fazenda.

Essas informações fazem parte de um levantamento econômico, zootécnico e de adoção de tecnologias em propriedades participantes do Balde Cheio mineiro. A pesquisa, realizada pelo núcleo Sudeste da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária,

com apoio da Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais, apresenta dados de área, rebanho, produção leiteira, produtividade, qualidade de leite, custeio e investimentos das fazendas assistidas durante o ano de 2016.

NÚCLEO SUDESTE DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA

2702, 2018

Preço do leite UHT

27/02/2018|

O aumento de 3,7% no preço do leite UHT na primeira quinzena de fevereiro de 2018 trouxe certo alívio ao setor e pode sinalizar a retomada de preços no campo, que tem tido quedas consecutivas desde o ano passado, segundo a analista do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA) da Universidade de São Paulo, Natália Grigol.

“O leite UHT é o derivado mais consumido dado Brasil e um dos pilares de formação de preços do leite no campo, servindo como um termômetro para o setor”, diz ela. No atacado em São Paulo, o valor médio do UHT passou de R$ 1,96/litro em 1º de fevereiro para R$ 2,03/ litro no dia 15 de fevereiro, se aproximando do patamar verificado no início de dezembro de 2017.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

2702, 2018

Exportação de carne bovina

27/02/2018|

A exportação brasileira total de carne bovina – que considera o produto in natura, industrializado, além de cortes salgados e miúdos – alcançou 1,53 milhão de toneladas em 2017, volume 9,5% maior do que o total embarcado no ano anterior. Os dados são da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

O total da receita cambial com a exportação de 2017 foi de US$ 6,28 bilhões, o que representa um resultado 14% maior do que o obtido em 2016.  Segundo a Abiec, o melhor resultado mensal das exportações de carne bovina em 2017 foi registrado em agosto, quando foram embarcadas quase 150 mil toneladas e faturados aproximadamente US$ 622 milhões.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE

2702, 2018

Piscicultura brasileira

27/02/2018|

A piscicultura brasileira produziu 697 mil toneladas de peixes de cultivo em 2017. Esse resultado é 8% superior ao de 2016 (640.510 toneladas). A informação é da Associação Brasileira de Piscicultura (PEIXE BR) e faz parte do Anuário da Piscicultura Brasileira – edição 2018 que acaba de ser publicado.

A tilápia é a mais importante espécie de peixes cultivados do Brasil. Segundo levantamento da PEIXE BR, a espécie representa 51,7% da piscicultura nacional, com 357.639 toneladas em 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PISCICULTURA

2702, 2018

Brasil livre de febre aftosa

27/02/2018|

O Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recomendou que o Brasil seja reconhecido como livre da febre aftosa com vacinação. Assim, 25 estados e o Distrito Federal deverão ser declarados livres da aftosa com vacinação pela OIE. Santa Catarina é reconhecida pela OIE como livre da doença sem vacinação desde 2007.

A decisão deverá ser anunciada na assembleia geral da OIE a realizar-se em Paris de 20 a 25 de maio, e o certificado de país livre de aftosa será entregue no dia 24. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, deverá estar presente na solenidade. Também está previsto o comparecimento do presidente Michel Temer.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

3101, 2018

Frango sem antibióticos

31/01/2018|

A Seara, uma das marcas da empresa de alimentos JBS, elevou em 87% o volume e as vendas de frango da linha sem antibióticos, hormônios e conservantes Seara DaGranja em 2017.

“Quando comparamos dezembro de 2017 ao mesmo mês de 2016, registramos um aumento de 118% na produção e de 212% nas vendas”, informa Ivan Siqueira, diretor-executivo de In Natura para o Mercado Interno da Seara.

O portfólio da Seara DaGranja conta atualmente com 18 produtos, entre eles frangos inteiros, cortes em bandeja, itens congelados e linha de pratos prontos.

SEARA (MARCA DA EMPRESA DE ALIMENTOS JBS)

3101, 2018

Criação de ovelhas

31/01/2018|

O Brasil tem hoje um rebanho de 18,4 milhões de ovelhas. Cerca de 70% dos animais é criado por produtores familiares, em sua maior parte no nordeste e no sul do país.

A produção dos animais leva em conta o uso de sua lã, carne e leite. A lã abastece o mercado interno da moda com fibras naturais. A carne é menos consumida que a bovina e a carne de frango, mas encontra seu espaço no mercado gourmet (restaurantes de pratos refinados).

Já o leite, é usado na fabricação de queijos finos e é indicado para quem é sensível à lactose (açúcar no leite).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

3101, 2018

Balança do agronegócio

31/01/2018|

Em 2017, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 96,01 bilhões, registrando crescimento de 13% em relação a 2016. No período, o setor foi responsável por 44,1% do total das vendas externas do Brasil.

Com o crescimento do valor exportado sobre o das importações, o saldo da balança do setor foi superavitário em US$ 81,86 bilhões em relação aos US$ 71,31 bilhões do ano anterior.

Foi o segundo maior saldo da balança do agronegócio da história, inferior apenas ao registrado em 2013 (R$ 82,91 bilhões).

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO.

3101, 2018

Carne suína

31/01/2018|

Maior produtor de suínos do país e com condição sanitária diferenciada (livre de febre aftosa sem vacinação), Santa Catarina vem ampliando as exportações de carne suína para o exterior. Em 2017, foram vendidas 276,5 mil toneladas do produto para mais de 50 países – um aumento de 0,8% em relação ao ano anterior.

As receitas geradas com as exportações também foram maiores e atingiram US$ 639,2 milhões (15% a mais do que em 2016). Os principais compradores foram Rússia, China, Hong Kong, Chile e Argentina.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS.

3101, 2018

Monitoramento por satélite

31/01/2018|

Dados divulgados recentemente pela Agência Espacial Americana (NASA), e que já haviam sido anunciados, de forma similar, pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), desmentem a teoria, por parte de alguns ambientalistas, de que a agricultura do Brasil é responsável pelo aumento dos desmatamentos em áreas de vegetação nativa.

A NASA e o Serviço Geológico dos EUA publicaram um estudo, baseado em monitoramento por satélite, sobre as áreas cultivadas do planeta. Em relação ao Brasil, a agência americana calculou a área de lavouras do país em 63.994.479 hectares, o que corresponde a 7,6%. A EMBRAPA, por sua vez, havia feito esse cálculo em 2016, também via satélite, e chegou a um resultado bem próximo: 65.913.738 hectares (7,8%).

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMENTO.

2812, 2017

Produto interno bruto

28/12/2017|

A agricultura e o agronegócio no Brasil contribuíram com 23,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2017, a maior participação em 13 anos, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A CNA destaca também que a criação de empregos foi a mais alta em cinco anos nos setores de agricultura e produção de carne, os únicos segmentos da economia que tiveram aumento de emprego em 2017.

CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL

2812, 2017

Ovos e pintos

28/12/2017|

As exportações brasileiras de ovos férteis e pintos de um dia estão em alta. O material genético avícola nacional é vendido para 25 países e movimentou cerca de US$ 107 milhões em 2016. O rígido controle sanitário nas granjas do país é um dos fatores primordiais para o aumento na demanda do mercado internacional pelo material produzido no Brasil

O fato de o Brasil nunca ter apresentado nenhum caso de febre aviária foi decisivo para a procura pelos produtos brasileiros.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL

2812, 2017

Febre aftosa

28/12/2017|

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, assinou, em conjunto com o governador Amazonino Mendes, o documento que reconhece o estado do Amazonas como zona livre da febre aftosa, com vacinação.

“O Amazonas, assim como os demais estados, com a assinatura do documento, se coloca com a mesma possibilidade de exportação de carne bovina, suína e outras carnes”, disse o ministro.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2812, 2017

Embriões bovinos

28/12/2017|

O Brasil vai iniciar a exportação de embriões bovinos in vitro para a Colômbia. O Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento fechou acordo com o Instituto Colombiano Agropecuário que vai viabilizar o embarque dos produtos.

O Certificado Veterinário Internacional firmado entre os dois países foi atualizado para atender produtores brasileiros e colombianos. O mercado colombiano é o principal importador de genética bovina brasileira para melhoramento dos rebanhos de corte.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

2812, 2017

Raça Nelore

28/12/2017|

A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) divulgou o balanço da Exposição Internacional de Nelore-EXPOINEL (46ª edição), apontando os grandes campeões de 2017 da raça Nelore, na etapa mais importante do Ranking Nacional Nelore e Nelore Mocho: o Grande Campeão Nelore foi Rima FIV Magistrado, do expositor CRL Agropecuária e a Grande Campeã da EXPOINEL 2017 foi Nali IDM, do expositor Rima Agroflorestal.

Entre os mochos, os Grandes Campeões foram: Gamahal FIV Angico, do expositor Udelson Nunes Franco e Quiev da Louz, do expositor Lourival Louza Junior.

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE NELORE DO BRASIL

2812, 2017

Boi gordo

28/12/2017|

Apesar das variações no mercado do boi gordo em 2017, os produtores de Mato Grosso confinaram 694,14 mil animais no ano. O número representa um aumento de 12,71% em relação ao total confinado em 2016, segundo dados do levantamento realizado pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária.

Para a Associação dos Criadores de Mato Grosso, os resultados são coerentes com o comportamento do mercado ao longo do ano.

INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIA

2812, 2017

Ovos de galinha

28/12/2017|

O Brasil registrou produção recorde de ovos de galinha em 2016, com 3,10 bilhões de dúzias. O resultado representou uma alta de 5,8% em relação a 2015 ou 51,28 milhões de dúzias de ovos a mais. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Responsável por 29,5% da produção nacional de ovos de galinha, São Paulo continua líder, seguido por Minas Gerais (9,8%) e Paraná (9,3%).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA

112, 2017

Tuberculina bovina

01/12/2017|

O Instituto Biológico (IB) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo aumentou sua capacidade de produção de doses da tuberculina bovina – usada para o diagnóstico de tuberculose em bovinos – e bateu recorde na produção de doses em uma única partida. Ao longo do ano são liberadas diversas partidas, sendo que cada uma é constituída por frascos contendo 50 doses cada.

Foram produzidas mais de 330 mil doses em uma única partida pelo IB, disponibilizadas para venda em outubro de 2017, que servirão para diagnosticar a tuberculose no rebanho nacional, equivalendo a 330 mil testes – um aumento de 65% quando comparado ao previsto de 200 mil doses liberadas por partida.

Sem esses testes, não é possível a realização de compra, venda, trânsito e exportação de bovinos. O IB é a única instituição brasileira a produzir o antígeno.

AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS

112, 2017

Pecuária e restauração florestal

01/12/2017|

Para cumprir o Código Florestal e ao mesmo tempo atender à crescente demanda por carne bovina, os pecuaristas de Mato Grosso terão de investir R$ 30,1 bilhões em 20 anos para ganhar produtividade, fazer a restauração florestal e ceder área para o plantio de grãos.

A estimativa é de um trabalho recém-concluído pela consultoria Agroicone. O estudo calcula que, do total a ser investido, os pecuaristas do estado terão de destinar R$ 22,8 bilhões para intensificar a pecuária – basicamente, em tecnologias que elevem a produtividade -, R$ 4,1 bilhões em restauração florestal e R$ 3,2 bilhões para preparar áreas que possam ser arrendadas para a atividade agrícola.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRIGORÍFICOS

112, 2017

Couro verde

01/12/2017|

A economia brasileira tem perdas anuais de R$ 3,5 bilhões devido aos danos causados ao couro verde (matéria-prima) que chega aos curtumes do pais. A informação é do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (os curtumes transformam o couro verde em couro pronto para fabricação, por exemplo, de sapatos).

Os danos têm origem nas propriedades rurais e são provocados, principalmente, por parasitas que atingem o gado, riscos de cerca e marcações de propriedade sobre o animal (marca de fogo).

CENTRO DAS INDÚSTRIAS DE CURTUMES DO BRASIL

112, 2017

Gado vivo

01/12/2017|

Os embarques de gado vivo do Brasil seguem em alta. Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, em outubro, o Brasil exportou 57.900 cabeças, com faturamento total de US$ 42,19 milhões.

Em relação a setembro a alta foi de 195,4%. No acumulado de 2017, foram exportadas 306.500 cabeças, alta de 35,3% em relação a 2016.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

112, 2017

Carne bovina

01/12/2017|

O Brasil exportou em outubro 144,6 mil toneladas de carne bovina, registrando um aumento de 39,72 % em relação a igual mês de 2016, segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes.

O valor das vendas também aumentou (38,11%), obtendo-se uma receita de aproximadamente 605 milhões de dólares.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES

112, 2017

Ovos de galinha

01/12/2017|

A Pesquisa da Pecuária Municipal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relativa a 2016 registrou que a produção brasileira de ovos de galinha naquele ano aumentou 1,3% em relação a 2015, correspondendo a, aproximadamente, 3,820 bilhão de dúzias. Essa produção foi avaliada em R$11,460 bilhões, valor 9,2% superior ao registrado em 2015.

Na produção levantada estão incluídos não apenas os ovos de consumo, mas também os destinados à reprodução – de matrizes e de pintos comerciais de corte e postura.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA

112, 2017

Farelo de soja

01/12/2017|

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, em outubro o Brasil embarcou 1,3 milhão de toneladas de farelo de soja (utilizado, principalmente, na alimentação de bovinos, suínos e aves).

Em relação a outubro de 2016 houve alta de 76,1%. Frente ao mês anterior o volume embarcado teve aumento de 9,7%.

A demanda mundial aquecida e a recente valorização do dólar frente ao real mantêm a exportação em alta.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

3010, 2017

Jacarés de cativeiro

30/10/2017|

O Brasil passou a contar com o maior frigorífico de jacarés de cativeiro do país e do mundo. Localizado em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, o empreendimento, inaugurado pelo Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, é fruto de um projeto no qual foram investidos R$ 35 milhões e tem capacidade para abater 600 animais por dia.

O frigorifico (Caimasul) opera com processo completo da cadeia produtiva de jacarés de cativeiro, que vai da cria, recria, engorda ao abate com certificação do Serviço de Inspeção Federal (SIF), passando pela transformação em produto (carne e couro tratado em curtume) e venda.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

3010, 2017

Gado vivo

30/10/2017|

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, a receita com a exportação de gado vivo cresceu 22% de janeiro a setembro deste ano em relação ao mesmo período do ano, passado para US$ 167,1 milhões (impulsionada pelo aumento da demanda da Turquia).

O país assumiu a liderança entre os principais compradores de bovinos vivos brasileiros depois que a Venezuela se retirou do mercado devido à crise política e econômica que atravessa.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

3010, 2017

Pesca e aquicultura

30/10/2017|

A aquicultura brasileira apresentou um crescimento de 123% entre 2005 e 2015, passando de 257 mil toneladas para 574 mil toneladas de pescado naquele período. Foi o que mostrou estudo realizado pelos pesquisadores Manoel Pedroza, Andrea Muñoz, Roberto Flores e Eric Routledge do núcleo Embrapa Pesca e Aquicultura da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e apresentado na conferência deste ano do International Institute of Fisheries Economics and Trade em Aberdeen, Escócia.

Segundo os pesquisadores, o bom desempenho da aquicultura brasileira despertou o interesse de importantes instituições financeiras, como o banco holandês Rabobank, maior financiador mundial do setor agrícola. A instituição holandesa e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) consideram o Brasil um pais de grande destaque na aquicultura mundial, situando-o em patamar semelhante ao de nações com tradição no setor, como Chile, Vietnã e Noruega.

NÚCLEO PESCA E AQUICULTURA DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA

3010, 2017

Produção de leite

30/10/2017|

Entre os anos de 2015 e 2017 a produtividade do leite nas fazendas do Rio Grande do Sul cresceu 24,9%. É o que indica o Relatório Socioeconômico da Cadeia Produtiva do Leite no Rio Grande do Sul – 2017, elaborado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (EMATER).

De acordo com o estudo, em 2015, os produtores gaúchos produziram 142 litros por propriedade por dia. Em 2017, a média passou para 178 litros. Outro resultado importante: naquele mesmo período, o aumento de produtividade por vaca também foi maior, passando de 11,7 litros vaca/dia para 12 litros.

SINDILAT – SINDICATO DA INDÚSTRIA DE LATIÍCINIOS E PRODUTOS DERIVADOS DO RIO GRANDE DO SUL

3010, 2017

Rebanho de equinos

30/10/2017|

O Brasil dispõe atualmente de um rebanho de equinos superior a cinco milhões de animais. Esse efetivo reúne cavalos de lida, de raça, lazer e competição. A informação consta de levantamento realizado pela Câmara de Equideocultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Segundo o órgão, o cavalo continua sendo decisivo para o desenvolvimento de atividades pecuárias e agrícolas na grande maioria das propriedades produtivas do país. A atividade movimenta anualmente R$ 16,15 bilhões e gera 610 mil empregos diretos e 2.430 mil empregos indiretos, sendo responsável, assim, por mais de três milhões de postos de trabalho.

CÂMARA DE EQUIDEOCULTURA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

3010, 2017

Rally da Pecuária

30/10/2017|

Depois de percorrer mais de 70 mil quilômetros mapeando e fotografando pastagens e visitando cerca de 200 propriedades, foi encerrado o Rally da Pecuária, maior expedição técnica privada que faz um balanço completo da bovinocultura de corte brasileira. Sete equipes especializadas levantaram informações “in loco” nas áreas de cria, recria, engorda e confinamento do país.

Foram visitados 11 estados: Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Acre. Eles respondem por mais de 82% do rebanho bovino nacional e 86% da produção de carne.

A informação é da Agroconsult, realizadora do Rally: Os dados coletados a campo apontam que o número de bovinos criados em confinamento voltará a passar de cinco milhões de cabeças em 2007.

AGROCONSULT, REALIZADORA DO RALLY DA PECUÁRIA

3010, 2017

Indicação Geográfica

30/10/2017|

O mel de abelhas do oeste do Paraná está entre os quatro novos produtos que conquistaram a certificação de indicação de procedência geográfica no país concedida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Com a decisão o produto ganhou identidade regional e diferencial de mercado para apicultores de 50 municípios daquela região.  O Paraná é o maior produtor de mel do Brasil e tem na região oeste uma referência (ela representa de 10% a 15% da produção do estado).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA

2809, 2017

Pecuária leiteira

28/09/2017|

Mais uma edição de sucesso (14ª) da Megaleite, principal exposição da pecuária leiteira do país. No evento, realizado em junho em Belo Horizonte (MG), foram comercializados em nove leilões animais no valor de R$ 3.836.560,00. A mostra reuniu mais de 80 empresas de vários segmentos do agronegócio da carne bovina que expuseram seus produtos (entre eles sêmen e embriões de touros campeões em reprodução) e fecharam negócios num total de R$ 10 milhões, segundo estimativa da Associação Brasileira dos criadores de Girolando (promotora da exposição).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO

2809, 2017

Carne suína

28/09/2017|

Passaram-se mais de dois anos da abertura do mercado norte-americano para a carne suína brasileira e a Cooperativa Central Aurora Alimentos continua sendo a primeira e a única empresa brasileira a exportar para os Estados Unidos. As vendas para aquele mercado vêm ganhando um grande impulso, passando de 50 toneladas em 2014 para 275 toneladas 2015. Um salto significativo ocorreu 2016 com a venda de 2.850 toneladas de carne congelada.

COOPERATIVA CENTRAL AURORA DE ALIMENTOS

2809, 2017

Ração animal

28/09/2017|

A produção e o consumo de ração animal do Brasil em 2017 deverão crescer 3,3%, após uma estagnação em 2016, com produtores de aves, suínos e bovinos retomando a produção com a diminuição dos preços do milho, a principal matéria-prima do setor, segundo previsão do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal.

No Brasil o consumo de rações concentra-se no segmento de aves (57% do total) e suínos (23%). O restante da produção é destinado a outras espécies animais, como bovinos de corte e de leite, cães, gatos, cavalos e peixes.

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL (SINDIRAÇÕES)

2809, 2017

Cadeia produtiva do leite

28/09/2017|

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.  lançou o Plano Mais Leite, Mais Renda que tem por fim coordenar a cadeia produtiva do leite, aumentando a produtividade e a qualidade da produção. A iniciativa visa atender às demandas de um rebanho de cerca de um milhão de cabeças de gado leiteiro, e de outro de 4,5 milhões de gado misto, destinado tanto à produção de leite quanto ao abate.

COODENADORIA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA INTEGRAL/SECRETARIA DE AGRICULTURA

2809, 2017

Febre aftosa

28/09/2017|

A Boehringer Ingelheim Saúde Animal, empresa farmacêutica alemã que opera no Brasil há 60 anos, inaugurou, em Paulínia, interior de São Paulo, uma fábrica de vacina contra a febre aftosa. O empreendimento – no qual foram investidos 42 milhões de euros (aproximadamente 150 milhões de reais) – tem capacidade de produção de 440 milhões de doses por ano, triplicando a atual produção brasileira. A fábrica opera com 90 funcionários para garantir a fiscalização dos processos dia e noite, com o objetivo de atender o mercado brasileiro e sul-americano.

BOEHRINGER INGELHEIM SAÚDE ANIMAL

2809, 2017

Produção de mel

28/09/2017|

O crescimento da produção de mel no norte de Minas está possibilitando a geração de empregos no campo e o aumento do número de jovens e mulheres trabalhando com a atividade. A atividade apícola gera mais de 350 mil empregos diretos e indiretos no Brasil, sendo 42 mil em Minas Gerais. O estado é responsável por aproximadamente 12% da produção do mel e quase 90% da produção de própolis verde no país.

EMATER-MG (EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL)

2809, 2017

Piscicultura

28/09/2017|

Um levantamento estatístico feito pela Associação Brasileira de Piscicultura, publicado no Anuário Brasileiro de Piscicultura (Peixe BR), informa que a produção no setor alcançou 640.510 toneladas de peixes no Brasil em 2016. Entre os maiores estados produtores estão o Paraná, com 93.600 toneladas; Rondônia, com 74.750 toneladas, e São Paulo com 65.400 toneladas. No total, foram mais de um milhão de empregos gerados e a receita brasileira fechou com R$ 4,3 bilhões no ano.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PISCICULTURA

2809, 2017

População de bovinos

28/09/2017|

Levantamento recente do IBGE mostra que a população de bovinos do país, em 2015, foi de 215,20 milhões de cabeças, representando um aumento de 1,3% em relação a 2014. O Centro-Oeste apresentou o maior número de bovinos entre as grandes regiões, com 33,8% da participação nacional. de bovinos. No comparativo com 2014, observou-se crescimento do efetivo de bovinos nas regiões Norte (2,9%), Centro-Oeste (2,1%) e Sudeste (0,7%). Na Região Sul ele se manteve estável, e apenas na região Nordeste o número de animais sofreu redução (-0,9%).

IBGE (INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA)

2809, 2017

Carne bovina

28/09/2017|

As exportações brasileiras de carne bovina in natura e processada apresentaram em julho um crescimento de 23% em volume em relação ao mesmo mês do ano passado, sinalizando que o setor pode apresentar equilíbrio e mesmo algum crescimento até o final de 2017. Em receita, o crescimento foi mais significativo: de 32%. Em julho o Brasil exportou 129.015 toneladas contra 104.989 toneladas em julho do ano passado. A receita, por sua vez, subiu de US$ 408,5 milhões no ano passado para US$ 538,1 milhões neste ano.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRIGORÍFICOS (ABRAFRIGO)

2809, 2017

Produção láctea

28/09/2017|

O mais longo ciclo de crise da produção láctea mundial dos últimos dez anos pode ter chegado ao fim. O preço do litro de leite pago ao produtor no mercado internacional, que chegou a 22 centavos de dólar, recuperou-se nos últimos meses e alcançou o valor histórico de 38 centavos de dólar em junho. A tonelada do leite em pó, que no pior momento de 2016, custava US$ 2.000,00, já está sendo vendida acima de R$ 3.100,00 no mercado internacional.Mais uma edição de sucesso (14ª) da Megaleite, principal exposição da pecuária leiteira do país. No evento, realizado em junho em Belo Horizonte (MG), foram comercializados em nove leilões animais no valor de R$ 3.836.560,00. A mostra reuniu mais de 80 empresas de vários segmentos do agronegócio da carne bovina que expuseram seus produtos (entre eles sêmen e embriões de touros campeões em reprodução) e fecharam negócios num total de R$ 10 milhões, segundo estimativa da Associação Brasileira dos criadores de Girolando (promotora da exposição).

NÚCLEO GADO DE LEITE DA EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA)

708, 2017

Carnes

07/08/2017|

A receita com as exportações brasileiras de carnes (bovinas, suínas e de aves) atingiram US$ 1,35 bilhão, em março, 9,2% acima de US$ 1,23 bilhão registrado no mesmo mês de 2016. Houve retração de 5,2% no volume embarcado, com 591,72 mil toneladas, e elevação do preço médio dos produtos do setor em 15,2%. O principal item negociado no mês foi a carne de frango, com US$ 644,15 milhões (+11,7%).

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA)

708, 2017

Peixes

07/08/2017|

A cadeia produtiva brasileira de peixes cultivados faturou R$ 4,3 bilhões, em 2016, e produziu, no período, 640.510 toneladas (incluindo camarões, pesca marinha e importações) e importou cerca de 500 mil t, em filé. O consumo brasileiro de peixes é estimado em 10 kg/habitante/ano, ante 9,5 kg/per capita no ano anterior. Em 2015, o país produziu 638.000, importou cerca de 450 mil t e faturou R$ 4 bilhões.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA PISCICULTURA (PEIXE BR)

708, 2017

Carne Suína

07/08/2017|

As exportações de carne suína (in natura e processada) totalizaram 179,2 mil toneladas no primeiro trimestre de 20178, resultado 8,7% superior as 164,9 2 mil toneladas enviadas nos três primeiros meses do ano passado. Em março deste ano, as vendas externas somaram de 63,2 mil toneladas, retração de 3,7% em comparação ao mesmo mês de 2016. A receita, porém, cresceu 38,3 %, chegando a US$ 151 milhões, na mesma análise.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL (ABPA)

708, 2017

Leite

07/08/2017|

Em 2016, o volume de leite captado pelos 15 maiores laticínios brasileiros foi de 9,67 bilhões de litros, queda de 1,9% na comparação com 2015. A capacidade instalada de processamento de leite dos laticínios foi estimada em 16,11 bilhões de litros ao ano, uma média de ociosidade em torno de 40,0%. Em 2015, a ociosidade média foi de 37,9%. A Nestlé se manteve na primeira colocação, com 1,69 bilhão de litros captados (queda de 4,4% na captação em relação ao ano anterior), seguida pela francesa Lactalis do Brasil, com 1,62 bilhão de litros captados, aumento de 1,9%.

ASSOCIAÇÃO LEITE BRASIL

708, 2017

Frango

07/08/2017|

O custo de produção do frango caiu, em média, 3,6% ao mês, este ano. A média do primeiro trimestre de 2017, de R$ 2,52/kg, ficou 11% abaixo de R$ 2,83/kg obtida de janeiro a março de 2016. Porém, em comparação ao mesmo trimestre de 2014 (R$ 2,11/kg) o custo atual ainda é 20% superior. O custo levantado para março cou em R$ 2,42/kg, redução de 12,81% em relação a março de 2016, o menor dos últimos 19 meses.

EMBRAPA SUÍNOS E AVES

708, 2017

Embrapa

07/08/2017|

Em 2016, o prejuízo líquido da Embrapa chegou a R$ 488 milhões em 2016, 6,9% acima do ano anterior. A perda foi creditada ao aumento dos repasses orçamentários, de R$ 2,8 bilhões, em 2015, para R$ 3,03 bilhões no ano passado. As receitas com vendas e serviços, inclusive parcerias com companhias privadas, caíram 19,4%, para R$ 25,8 bilhões. Os gastos com pessoal, manutenção de serviços e contratos de terceirizados cresceram 7,6% para R$ 3,2 bilhões. Somente as despesas com a folha de servidores aumentaram 9,5%, para R$ 2 bilhões.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA)

708, 2017

Defesa Sanitária

07/08/2017|

Criado em 2005, para apoiar ações de defesa sanitária animal e agir com rapidez em casos de eventos sanitários, o Fundesa atingiu, pela primeira vez, saldo superior a R$ 70 milhões. A receita dos primeiros três meses de 2017 superou R$ 3,9 milhões. A maior aplicação de recursos (R$ 1,2 milhão) foi na indenização de produtores de leite, seguido pela da cadeia de aves (R$ 372 mil), para prevenção e controle de in uenza aviária.

FUNDO DE DESENVOLVIMENTO E DEFESA SANITÁRIA ANIMAL (FUNDESA)

708, 2017

Frigoríficos

07/08/2017|

Cerca de 90% dos frigoríficos estão habilitados para produzir proteína animal Halal e seus derivados. O volume exportado da carne brasileira alcança apenas 20% da população muçulmana no mundo, de cerca de 1,8 bilhão de pessoas. O conceito Halal inclui desde a constatação da saúde plena do animal até a não adoção de trabalho infantil ou escravo pelos estabelecimentos de abate.

CÂMARA DE COMÉRCIO ÁRABE-BRASILEIRA

2806, 2017

Carne Bovina

28/06/2017|

Em outubro de 2016, a receita com as exportações de carne bovina brasileira alcançou US$ 449 milhões referentes ao embarque de 107 mil toneladas. No acumulado de janeiro a outubro deste ano, as vendas externas cresceram 4% no volume, somando 1,1 milhão de toneladas e faturamento de US$ 4,6 bilhões.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE (ABIEC)

2806, 2017

Carne Suína

28/06/2017|

As exportações de carne suína (in natura e processada) totalizaram 614,5 mil toneladas entre janeiro e outubro de 2016, alta de 38,1% em relação ao mesmo período de 2015, que foi de 444,9 mil toneladas. A receita alcançou US$ 1,208 bilhão, superando em 13,4% o saldo dos dez primeiros meses de 2015 (de US$ 1,065 bilhão). A expectativa é ter encerrado o ano de 2016 com mais de 700 mil toneladas.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL (ABPA)

2806, 2017

Caravana da Produtividade

28/06/2017|

A Merial, a Tortuga, a Dow AgroSciences, a JBS e a Volkswagen colocaram suas equipes técnicas, na estrada na segunda edição da Caravana da Produtividade, que percorrerá, até dezembro, 136 cidades em 19 Estados, rodando 72 mil quilômetros pelas regiões que concentram 80% do rebanho bovino nacional. O objetivo é levar dicas e estratégias sobre manejo de pastagem, nutrição, saúde, gestão para 5,5 mil pecuaristas.

ASSESSORIAS DE IMPRENSA DAS EMPRESAS

2806, 2017

Frigoríficos

28/06/2017|

A Minerva Foods, de Barretos, SP, adquiriu a unidade de Niterói, RJ, do frigorífico capixaba Frisa, por R$ 205 milhões, o valor será acrescido do capital de giro, que no nal de 2015 era de 45 milhões. Com a compra, que precisa do aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Minerva terá capacidade total de abate diário de cerca de 19 mil cabeças em 9 estados brasileiros e também no Uruguai, Paraguai e Colômbia.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA MINERVA FOODS

2806, 2017

Derivados de lácteos

28/06/2017|

A mineira Itambé Alimentos S/A está investindo R$ 50 milhões na linha de produtos de maior valor agregado, como os leites especiais e iogurtes. Com capacidade de processar 3,5 milhões de litros de leite ao dia, o portfólio da empresa é composto por cerca de 190 produtos derivados de lácteos. Terceiro maior laticínio do País, atrás da Nestlé e da francesa Lactalis, a Itambé conta com mais de 7 mil fornecedores e 3,3 mil funcionários diretos.

ITAMBÉ ALIMENTOS S/A

2806, 2017

Gado em Pé

28/06/2017|

O Porto do Rio Grande, em Porto Novo, RS, embarcou 11.000 cabeças de bovinos vivos, no dia 16 de novembro, com destino à Turquia, principal mercado comprador do Brasil para gado em pé. De janeiro a junho de 2016, o país importou 86.005 cabeças, 61,8% do total embarcado pelo Brasil no primeiro semestre, que foi de 139.356 cabeças.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

2806, 2017

Carne de Frango

28/06/2017|

Os embarques de frango nos 10 primeiros meses do ano ultrapassaram 3,6 milhões de toneladas, superando em 5,14% o volume exportado no mesmo período de 2015. Se os números de novembro e dezembro mantiverem a média registrada entre julho e outubro (350 mil/t mensais), o total anual será de 4,330 milhões de toneladas, 2,5% acima do que foi exportado em 2015 (4,402 milhões de toneladas).

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS

2806, 2017

Febre Aftosa

28/06/2017|

A redução de 17,5% do preço médio da dose de vacina contra a febre aftosa deverá resultar em uma economia de R$ 6,602 milhões para os pecuaristas mato-grossenses, caso sejam vacinadas as 29.122.782 cabeças de gado do rebanho do Estado. Em 2015, os pecuaristas gastaram R$ 42,423 milhões em vacina contra a febre aftosa e a previsão, para 2016, é de R$ 35,821 milhões.

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE MATO GROSSO (ACRIMAT)

2806, 2017

Couros e Peles

28/06/2017|

Em outubro de 2016, as exportações de couros e peles do Brasil renderam US$ 161,9 milhões, aumento de 7,4% comparado a setembro e de 2,3% em relação ao mesmo mês de 2015. Os couros acabados e semiacabados respondem por quase 70% das vendas externas de 2016, crescimento de 12,2% e 84% no volume, respectivamente. Rio Grande do Sul lidera os embarques, com 21,6%, seguido por São Paulo com 20,8.

SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR DO MDIC / CENTRO DAS INDÚSTRIAS DE CURTUMES DO BRASIL (CICB)