Medidas simples para reduzir as reações da vacina contra a Febre Aftosa

Por

A formação de caroço na região onde foi aplicada a vacina contra a febre aftosa é comum e está ligada à resposta imunológica do animal. A a rmação é da pesquisadora da Embrapa Gado de Corte, Vanessa Felipe de Souza. Ela que é médica-veterinária, com doutorado em virologia, desenvolve trabalho de prevenção e controle da febre aftosa em parceria com o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa – Panaftosa.

A especialista afirma que a única forma de proteger o animal contra a doença é por meio de vacina e que reações indesejáveis da vacina no animal podem ser evitadas.

A febre aftosa é uma doença contagiosa caracterizada por febre e lesões vesiculares que ao se romperem formam úlceras na boca, focinho, tetas e nos cascos. Ela ataca espécies animais de casco bipartido como bovinos, bubalinos, caprinos e ovinos, entre outros. “A única forma de proteger o animal contra a doença é a vacinação”, diz a pesquisadora da Embrapa Gado de Corte. Por ser uma doença contagiosa e de rápida disseminação vindo a causar perdas econômicas significativas, o melhor que se tem a fazer é evitar que esses prejuízos ocorram. Para isso, basta o criador seguir o calendário de vacinação adotado na sua região e ficar atento a algumas recomendações, como por exemplo a de adquirir vacinas somente de estabelecimentos credenciados pelo órgão de defesa sanitária e obedecer a alguns cuidados como de conservação, transporte e armazenamento. A pesquisadora Vanessa Felipe explica que esses cuidados com a vacina são tão importantes quanto o ato da aplicação.

Conservação da vacina

Com relação à conservação, as vacinas devem ser mantidas entre 2°C e 8°C. É necessário que elas estejam armazenadas em caixas de isopor contendo três terços de gelo para uma parte de frascos de vacina e nunca congeladas. “O melhor horário para aplicar a vacina é pela manhã e o local de aplicação mais indicado é a tábua do pescoço e nunca no cupim do animal”, ensina a pesquisadora.

Cuidados ao vacinar

O animal deve ser bem contido para facilitar o serviço da vacinação e evitar lesões ao aplicador e ao animal. A vacina contra a Febre Aftosa pode ser aplicada via intramuscular ou subcutânea e o melhor local de aplicação é a tábua do pescoço. O local deve estar limpo para evitar contaminações e complicações futuras. Deve-se usar uma agulha para puxar o líquido do frasco e outra para aplicação no animal, evitando assim a contaminação da vacina que está dentro do frasco. Lembrando que é importante tirar as bolhas da seringa antes de aplicar no animal para evitar que a dose aplicada seja menor do que a indicada, que é de 5 ml, tanto para animais adultos quanto novos.

2017-07-02T14:38:45+00:00