China está perto de acordo para retirar antidumping do frango do Brasil

Por

Os frigoríficos exportadores de carne de frango do Brasil e o Ministério do Comércio da China (Mofcom) estão próximos de um acordo para a retirada das tarifas antidumping aplicadas no ano passado contra o produto brasileiro.

A informação sobre o acordo foi transmitida ao presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Segundo o relato do ministro, o presidente da China, Xi Jinping, tratou do assunto com o presidente Michel Temer durante a cúpula do G-20, que ocorreu no último fim de semana em Buenos Aires.

Para retirar a tarifa antidumping que foi aplicada em agosto do ano passado por Pequim, os exportadores de carne de frango do Brasil aceitarão um acordo de preço mínimo (“price undertaking”).

Com o estabelecimento de um piso para o preço do produto brasileiro, Pequim visa a proteger os produtores locais, que se sentiam lesados pela entrada do produto brasileiro em seu mercado. O Brasil é o principal fornecedor externo de carne de frango para a China. Os frigoríficos brasileiros negam a prática de dumping.

Nos bastidores, a avaliação é que a China quer fechar o acordo de preço mínimo ainda antes da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro adotou, por vezes, uma retórica crítica aos chineses.

Em nota, a ABPA informou hoje que restam algumas pendências para o acordo com o Ministério do Comércio da China. “O objetivo é consolidar um entendimento equilibrado no menor prazo possível, com total transparência e ganhos para ambos os lados. É nisto que as partes envolvidas têm se engajado”, disse Turra.

Apesar do antidumping, as vendas para China cresceram neste ano e o país asiático é o segundo maior cliente dos frigoríficos brasileiros, conforme a ABPA. Os chineses são vorazes consumidores de pés de frango, o que é extremamente positivo para os frigoríficos brasileiros. Antes da ascensão da China como importante cliente do Brasil, os pés de frango praticamente não tinham destinação e acabavam virando ração.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela ABPA, as exportações brasileiras aos chineses somaram 363.000 toneladas, o equivalente a 11% das exportações totais do país. Na comparação com o mesmo período do ano passado, as vendas para a China cresceram 9%, segundo a ABPA.

 

Fonte: Valor Econômico

2018-12-04T18:05:45+00:00 04/12/2018|Categories: ABB News, Colunas|Tags: , , |