Desempenho do frango vivo nos primeiros dias de setembro

Por

Ao contrário do ocorrido há um ano, quando a cotação do produto permaneceu inalterada durante todo o mês, somente sofrendo ajuste no final do período, em setembro de 2018 o frango vivo comercializado tanto no interior paulista como em Minas Gerais interrompeu o período de estabilidade logo no início do mês.

Em São Paulo, a alteração (de R$ 0,10, valor raro nos ajustes paulistas que, tradicionalmente, opera com variações de R$ 0,05, para cima ou para baixo) ocorreu na quarta-feira (5/9), elevando a cotação do frango vivo para R$ 3,10/kg. Em Minas, o reajuste (de R$ 0,05) foi registrado no dia seguinte (6/9) e, com ele, a cotação das duas praças se igualou em R$ 3,10/kg.

Justificados por antecipações no abate devidas ao feriado de 7 de setembro, as altas da semana passada têm, também, outras razões, provavelmente mais amplas: neste instante, a oferta de animais em geral (ou seja, não só do frango vivo, mas também do suíno e do boi em pé) está melhor ajustada ao mercado, motivando os necessários ajustes de preço.

Para o frango, aliás, os ajustes são imprescindíveis. Porque, como mostra a tabela inserida no gráfico abaixo, ele apresenta o segundo menor valor real dos últimos quatro anos, somente superando os resultados de setembro do ano passado. A questão, aqui, é que os custos de 2017 foram bem inferiores aos registrados atualmente.

Porém, ao que tudo indica, esse problema deve ser minimizado no decorrer de setembro, porque as ofertas de aves vivas estão mais restritas. Mas também porque, sobretudo, o mercado de frangos abatidos vem obtendo remuneração que possibilita o repasse de ganhos à ave viva. Sob esse aspecto, outros ajustes podem ocorrer no curtíssimo prazo.

Fonte: AviSite

2018-09-13T12:40:37+00:00 10/09/2018|Categories: ABB News, Colunas|Tags: , |