Completados praticamente três quartos do mês de abril (ou 14 dos 19 dias úteis do mês), as exportações de carne de frango in natura continuam apresentando resultados acima da média – em volume, em preço e, por decorrência, também na receita cambial.

Os embarques da semana que passou, quarta do mês, sofreram ligeira redução. Mas ficaram acima das 20 mil toneladas/dia, garantindo que os embarques de abril permaneçam, pela média diária, em nível recorde.

O volume até aqui registrado, de 22.806 toneladas/dia, é mais de um quarto superior ao de março passado, além de apresentar incremento de 30% sobre abril de 2021.

Em outras palavras, foram embarcadas, até o momento, perto de 320 mil toneladas do produto in natura, volume que supera o total mensal exportado, por exemplo, em janeiro passado (317,7 mil/t) ou em novembro de 2021 (305,9 mil/t), como mostra o gráfico abaixo.

Frente a tal desempenho, o total embarcado em abril corrente pode superar as 430 mil toneladas, o que, se confirmado, representará um aumento de mais de 10% sobre o mês anterior (perto de 385 mil/t em março passado) e de quase 20% sobre abril de 2021 (362,8 mil/t).

Tão excelente quanto vem sendo a recuperação nos preços do produto, no momento acima de US$1.900/tonelada, melhor resultado desde novembro de 2014 (90 meses atrás!), ocasião em que o preço médio registrado foi similar ao de abril corrente: US$1.908,20/tonelada. Um resultado que significa aumento de quase 5% sobre março passado e de mais de 26% sobre abril de 2021.

A consequência natural desses aumentos será um significativo incremento na receita cambial. Ela soma, até aqui, mais de US$600 milhões e, correspondendo a US$16 milhões/dia a mais que há um ano, já supera o total mensal alcançado em abril de 2021 (US$547,7 milhões).

Mas tende a superar os US$800 milhões e, com isso, alcançar novo recorde histórico. O sinalizado, por ora, é algo em torno de US$826 milhões, valor 17% e 50% superior aos de março passado e de um ano atrás.

 

 

Fonte: AviSite