A atual crise enfrentada pela suinocultura de Mato Grosso, considerada a pior da história, preocupa outros segmentos do agronegócio no estado.

Com prejuízos na casa dos R$ 300,00 por animal vendido, suinocultores de vários municípios já encerram suas produções e deixaram a atividade. Segundo a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), a quebra da cadeia produtiva já é vista como uma realidade muito próxima, caso nenhuma medida emergencial seja adotada.

A alta no preço do milho e do farelo de soja, principais insumos para a ração fornecida aos animais, elevou o custo de produção para quase R$ 7,00 para cada quilo produzido, enquanto o preço médio pago ao suinocultor pelo quilo do animal está em torno de R$ 4,50.

O Fórum Agro, que reúne a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrismat), Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) e a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), tem se reunido com parlamentares em busca de uma solução para o problema.

“Estamos há algumas semanas tratando do assunto e criando soluções que possam ajudar os produtores neste momento de crise. A Frente Parlamentar da Agropecuária e os deputados Dilmar Dal Bosco (DEM), Xuxu Dal Molin (PSC) e Carlos Avallone (PSDB) têm nos recebido e tentado intermediar nossas demandas com o Governo do Estado”, explica o presidente do Fórum Agro MT e da Acrismat, Itamar Canossa.

Propostas e ações

Entre as solicitações da Acrismat ao Governo do Estado estão a inclusão de novas finalidades da atividade no Programa de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Proder) e a redução do ICMS para frigoríficos na comercialização da carne suína.

No cenário nacional, a situação também é de crise e a entidade também acionou o governo federal, via Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), bem como a bancada federal por meio do deputado Neri Geller (PP), para viabilizar uma solução que atenda toda a cadeia.

Como forma de chamar atenção do poder público para a crise que abala o setor, produtores de Sorriso (distante 396 km de Cuiabá) se mobilizaram nesta semana e doaram 3,5 toneladas de carne suína a 16 instituições filantrópicas do município.

 

 

Fonte: Agrolink