Os preços da carne de frango subiram em julho, com recuperação frente ao movimento de queda verificado em maio e em junho.

Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o aumento dos preços é pautado principalmente pela baixa disponibilidade interna de carne de frango devido aos embarques elevados e ao maior consumo da população, que procura proteínas mais baratas por conta da forte inflação.

Assim, em julho, o preço médio do frango inteiro comercializado na Grande São Paulo atingiu o maior patamar mensal dos últimos três meses, em termos reais (IPCA de junho de 2022).

O produto congelado registrou a média de R$ 7,76/kg na região paulista no último mês, com alta de 4,70% em relação à do mês anterior. Mesmo com os aumentos, o preço de julho ainda esteve 4,90% abaixo da média do mesmo período de 2021.

Para os cortes e miúdos, também comercializados no atacado da Grande São Paulo, dentre os produtos acompanhados pelo Cepea, apenas a asa registrou queda em julho.

A demanda específica pelo produto para churrascos e confraternizações tende a se reduzir no período de inverno, devido às temperaturas mais baixas.

Na contramão, o que mais se valorizou foi o filé de peito, que tem apresentado tendência de alta desde meados de março deste ano.

O preço é recorde real da série histórica do Cepea, iniciada em 2004 (IPCA de junho de 2022). No último mês, o produto congelado teve média de R$ 16,06/kg, que, além de recorde, é 5,50% maior que a média de junho e 22,50% superior ao preço registrado em julho de 2021.

 

 

Fonte: Cepea